Resenhas

domingo, 14 de dezembro de 2014

[RESENHA] "SUSSURRO", DE BECCA FITZPATRICK

Nome: Sussurro
Autora: Becca Fitzpatrick
Série: Hush Hush (#01)
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Buscapé
Se apaixonar nunca foi tão fácil… ou tão mortal. Para Nora Grey, romance não era parte do plano. Ela nunca se sentiu particularmente atraída por nenhum garoto de sua escola, não importa o quanto sua melhor amiga Vee os empurre para ela. Não até a chegada de Patch. Com seu sorriso tranquilo e olhos que parecem enxergar dentro dela, Nora é atraída por ele contra seu bom senso. Mas após uma série de acontecimentos aterrorizantes, Nora não sabe em quem confiar. Patch parece estar onde quer que ela esteja, e saber mais dela do que seus amigos mais íntimos. Ela não consegue decidir entre cair nos braços dele ou correr e se esconder. E quando tenta encontrar algumas respostas, ela se acha próxima de uma verdade que é bem mais perturbadora do que qualquer coisa que Patch a faça sentir. Pois Nora está bem no meio de uma antiga batalha entre os imortais e aqueles que caíram – e, quando se trata de escolher lados, a escolha errada poderá custar sua vida.

Resenhas | Série “Hush Hush”


   


Nora Grey é o modelo perfeito de garota exemplar. Estudiosa, obediente, tem um futuro planejado e uma vida controlada e está sempre antecipando seu próximo passo. É por isso que ela não gosta nada quando seu professor de biologia surpreende a todos modificando o mapa de assentos da sala de aula, deixando Nora para fazer par com Patch Cipriano, o misterioso garoto que durante o ano inteiro manteve-se calado e que parecia perfeitamente bem com o fato de ficar 'invisível' aos olhos de todos.

A chegada de Patch deixa a vida de Nora de pernas para o ar. De alguma maneira ele sabe muito sobre ela, aparece em todos os lugares onde ela está e a assusta ao mesmo tempo em que - a contragosto - inevitavelmente a atrai.

“— Preciso admitir: o lado negro dele me atrai.

Não tinha desejo algum de admitir, mas Vee não era a única. Eu sentia uma atração por Patch que nunca havia sentido por ninguém. Havia um magnetismo sombrio entre nós. Perto dele, eu me sentia seduzida pelo perigo. A qualquer momento, parecia que ele poderia me fazer passar dos limites.”
Mas não é só Patch que está tirando o sono de Nora. Coisas estranhas têm acontecido e ela sente que alguém está à espreita, apenas esperando uma chance para matá-la. Mas quem seria e por quê?

Nora não é uma garota tímida, mas não é do tipo que gosta de sair para festejar e flertar com garotos. Na verdade ela está sempre cumprindo os horários impostos por sua mãe, embora esta esteja sempre viajando a trabalho. Sem nunca ter se interessado por um garoto da escola, ela não consegue entender como alguém tão certinha e controlada como ela pode sentir-se atraída por Patch, um garoto que indica problemas.

Nora é uma personagem forte e apesar do medo causado por todas as coisas sinistras que tem acontecido, ela enfrenta os problemas de frente, empenhando-se em desvendar os mistérios que de repente cercaram sua vida. 

“[...] Não, parecia maluquice. Mas eu vi o punho socar o vidro e senti as unhas se cravarem em meu ombro.

Não foi?

Quanto mais tentava me lembrar do acidente, mais difícil se tornava. Pequenos lapsos de informação abriam-se em minha memória. Os detalhes estavam desaparecendo. Como ele era? Alto? Baixo? Magro? Forte? Disse alguma palavra?

Eu não conseguia lembrar. E isso era o mais assustador. [...] Os únicos detalhes que sobraram eram vagos, na melhor das hipóteses. Era como se uma borracha tivesse apagado minhas lembranças. Rememorando, eu me lembrava da chuva pesada descendo pela janela do carro, deixando tudo mais indistinto. Será que eu realmente não havia atropelado um veado?”
Muitos acham Nora uma protagonista irritante, mas ela só me incomoda quando resolve seguir os planos descabidos de sua melhor amiga, Vee Sky. Essa sim é chata de verdade.

Como a melhor amiga, Vee sabe muito sobre Nora e está sempre bolando planos para tentar ajudá-la a resolver seus problemas, porém tudo o que esses planos fazem (na maioria das vezes) é trazer mais problemas. Além disso, diferente de Nora, Vee não perde uma oportunidade de participar de uma boa festa e de ter a companhia de garotos, inclusive de sair para acampar com eles mesmo que não os conheça muito bem e mesmo que todos os sinais indiquem que esses garotos não são confiáveis.

“— O que você quer dizer com ‘ameaçou fisicamente’?

— Ele me arrastou para fora de casa e me jogou contra a parede.

— Mas ele estava bêbado, não estava?

— E isso faz diferença? — retorqui.

— Bem, muita coisa aconteceu com ele. Você sabe, ele foi acusado injustamente de estar envolvido no suicídio de uma menina aí e foi obrigado a mudar de escola. Se ele tivesse machucado você, e, diga-se de passagem, não estou justificando o que ele fez, talvez precisasse apenas de... aconselhamento, sabe?

— Se ele tivesse me machucado?

— Ele estava mal. Talvez... talvez não soubesse o que estava fazendo. Amanhã vai estar se sentindo péssimo.”
E o que dizer de Patch? Atraente, enigmático e esperto, ele prefere deixar seu passado no escuro mas, não nega a Nora que as coisas que ele esconde não são inofensivas e podem assustá-la. O sorriso torto não sai da boca e, ele usa e abusa das palavras para provocar Nora sempre que uma oportunidade lhe é apresentada. E acredite, isso acontece muitas vezes e tenho certeza de que esses são momentos que arrancam suspiros das fãs do bad boy.

Não dá para negar que o romance é clichê. A garota certinha se apaixona pelo cara malvado, que por sua vez também cai de amores e consequentemente acaba mudando um pouco de sua personalidade errada por ela (embora Patch não tenha tido uma mudança de 360º graus). Porém é um romance gostoso de acompanhar, e ambos os protagonistas são bem atrevidos, então seus diálogos sempre rendem momentos divertidos.

“— Linda como sempre — disse para mim ao sentar na cadeira.

[...]

—Obrigada — respondi sem pensar.

Imediatamente, quis engolir minhas palavras. Obrigada? De tudo o que eu poderia ter dito, "obrigada" era o pior. Não queria que Patch achasse que eu apreciava seus elogios. Porque não apreciava... na maioria das vezes. Não era preciso ser muito esperta para perceber que ele era encrenca, e eu já tinha passado por encrenca o bastante na vida. Não precisava de mais. Talvez se eu o ignorasse, ele acabaria desistindo de puxar assunto. Então poderíamos nos sentar lado a lado em harmonia silenciosa, como todas as outras duplas na sala.

— Também está com um perfume gostoso — disse Patch.

— Chama-se chuveiro. — Eu estava com o olhar fixo para a frente. Como ele não respondeu, virei-me de lado. — Sabão. Xampu. Água quente.

—Nua. Sei como é.”
Mas nem tudo gira em torno do casal. Como citei antes, alguém parece estar tentando matar Nora e é aí que aparecem as boas cenas de ação, que me deixaram curiosa para saber quem estava por trás dos acontecimentos e quais eram os motivos, já que aparentemente Nora não fez nada que despertasse uma ira tão grande de alguém.
O problema desse misterioso tentando acabar com a protagonista é resolvido até o final e embora eu nunca tenha desconfiado de nada - sou muito lerda -, depois de finalizar o livro - há uns anos atrás, quando li pela primeira vez - percebi que uma pessoa mais atenta pode (chegar perto de) deduzir o desfecho.

Nesse primeiro livro a única personagem que não teve tanto espaço foi Marcie Miller, a inimiga de Nora, mas não é algo que senti falta. Porém o leitor pode ficar intrigado quanto ao motivo da rivalidade, pois, de alguma forma essa rixa entre as duas parece ser algo mais profundo e pessoal. De resto todos os personagens foram bem explorados, deixando-me conhecer as personalidades e caráter de cada um. 

A narrativa não fica enrolando em torno do mesmo problema, o que torna a leitura gostosa e rápida. O último diálogo guarda mais suspiros e me deixou com um gostinho de quero mais e claro, ansiosa pela sequência. 

A capa é maravilhosa e de acordo com o enredo. A tradução e revisão estão ótimas, encontrei um ou dois erros ao longo do livro, mas acho que alguns erros sempre aparecerão e os encontrados em "Sussurro" são tão insignificantes que mal me lembro. 

6 comentários:

  1. Oieeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee, Hush Hush!! Amo o Patch tem como não amar o Patch? Também esses livros no ano passado e também fui surpreendido com o final, não acho Patch e Nora Clichê hahaha :p a Vee é muito louca mas também não chega a ser chata, ela só arranja cara errado e muita confusão!! kkkkk Adorei a resenha!!


    Xo
    Re.View

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus Deus, Patch, ohh Patch... não tem nem o que dizer. Sonho com o dia em que a Becca vai escrever o tal conto do ponto de vista dele!!
      O romance deles eu acho bem clichê sim essa parte de ele ser um cara mau e ela ser a típica estudante certinha, mas como eu disse, é um relacionamento gostoso de acompanhar. Mas respeito sua opinião, é claro; o importante é que ambos gostamos da história E do Patch HAHA
      Nossa, a Vee me irrita demais nesse primeiro volume. Eu sei que ela só está tentando ajudar, mas é cada ideia que ela tem! Pelo menos nas sequências eu achei ela mais tolerável!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha ^^

      Excluir
    2. Esse benbendito conto que nunca sai!!! É queria que o filme fosse para frente! Pacheco e muito digo não tem como não amar!

      Excluir
    3. Nem me fale desse filme. Aquelas cenas do book trailer do último livro me faz pensar que um filme seria perfeito e que faria muito sucesso!!!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Eu não achei não. Acho que está mais para... um romance atrevido. Isso não significa que é um daqueles cheios de sacanagem, se é que me entende.

      Excluir

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.