Resenhas

segunda-feira, 8 de maio de 2017

[RESENHA] "PARA TODOS OS GAROTOS QUE JÁ AMEI", DE JENNY HAN

Nome: Para Todos Os Garotos Que Já Amei
Série: Para Todos Os Garotos Que Já Amei #01
Autora: Jenny Han
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Buscapé
Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.

Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.


Não é fácil lidar com uma paixão não correspondida. Lara Jean já passou por essa situação algumas vezes, mas ela tem um segredo para se livrar disso: derramar seus sentimentos em cartas destinadas às suas paixões, mas sem realmente enviá-las. Suas cartas de amor ficam guardadas em uma caixa no quarto - até o dia em que elas desaparecem misteriosamente e vão parar nas mãos de seus respectivos destinatários.

É um acontecimento embaraçoso, mas para Lara Jean o mais desesperador é que Josh, seu melhor amigo e ex-namorado de sua irmã Margot, é um dos jovens destinados a receber uma carta. Após o episódio Lara Jean bem que tenta evitá-lo, mas não há como fazer isso para sempre.
“Josh Sanderson, eu gostei de você primeiro. Você era meu primeiro. E, se tivesse sido eu, eu o teria colocado em uma mala e levado comigo, ou, quer saber?, nem teria partido. Eu nunca abandonaria você. Nem em um milhão de anos, por nada neste mundo.”
Quando questionada por Josh a respeito da carta, a protagonista entra em parafuso e faz a maior loucura de sua vida. Quando ela vê Peter Kavinsky, outra ex-paixão agraciada com uma carta, passado por perto, Lara inventa que o garoto é seu namorado e se joga (literalmente) nos braços dele.

Lançado como um paraquedas para o meio desta confusão, Peter decide aproveitar a situação a seu favor. Ele acabou de sair de um longo relacionamento com a malvada Genevieve e para provar para todos que não é seu cachorrinho, ele propõe a Lara Jean que prolonguem a mentirinha que ela inventou para Josh.

Em meio a vários planos e confusões, Peter e Lara Jean acabam passando muito tempo juntos e consequentemente conhecendo melhor um ao outro. Justamente quando ela pensa que sua paixão pelo lindo Peter Kavinsky está reacendendo, Josh começa a dar sinais de que está olhando-a por uma nova perspectiva. Uma chance com Josh é tudo o que ela queria e além disso, Peter ainda permanece apaixonado por Genevieve... não é?
“Como posso saber o que é real e o que não é? Parece que sou a única que não sabe a diferença.”
De uma forma leve e divertida, “Para Todos os Garotos Que Já Amei” fala sobre questões com as quais os adolescentes precisam lidar. Aqui não é apenas o romance que está em pauta, mas também o amadurecimento da protagonista. No começo vemos uma jovem totalmente depende da irmã mais velha e que fica perdida quando ela sai de casa para fazer faculdade. Com o avançar da história vemos Lara amadurecer e tomar o controle da própria vida; para o leitor, é uma sensação maravilhosa acompanhar essa evolução.
“Não quero ter medo. Quero ser corajosa. Quero... que a vida comece a acontecer. Quero me apaixonar e quero que um garoto se apaixone por mim.”
A história é divertidamente envolvente e cativa o leitor desde as primeiras páginas, fazendo-o torcer pela protagonista do começo ao fim. Os personagens são apaixonantes e bem desenvolvidos. Sem deixar o livro muito longo, Jenny Han conseguiu arranjar espaço para cada um e ainda assim manter o foco na vida da personagem principal.

Sendo uma adolescente no ensino médio e lidando com os primeiros amores, Lara Jean passa por algumas situações que podem soar familiares para os leitores. Seus sentimentos e as confusões em que se envolve são comuns para os jovens que estão nessa fase, então sim, em muitos momentos eu me identifiquei com Lara Jean.

Triângulo amoroso pode ser um tema irritante em alguns casos, mas não aqui. Lara e Peter fingem um relacionamento pensando em outras pessoas, mas a relação deles acontece naturalmente. Eles nem ao menos percebem o quanto são compatíveis e como ficam confortáveis na companhia um do outro. Josh por outro lado é o melhor amigo que sempre esteve presente nos momentos em família e com quem ela sabe que sempre pode contar, mas que nunca soube de seus verdadeiros sentimentos.
“Que garota não se apaixonaria por Peter Kavinsky, o garoto mais bonito de todos os Garotos Bonitos? Agora que o conheço de verdade, sei que ele é bem mais do que isso.”
“Como poderia me ressentir do primeiro amor da minha irmã? Margot, que se sacrificou tanto por nós. [...] Deixar Josh para trás foi minha forma de colocar Margot em primeiro lugar.”
Já li muitos e muitos elogios a “Para Todos os Garotos Que Já Amei”, mas me surpreendi com o quanto gostei da história. Iniciei a leitura e simplesmente me esqueci do mundo fora das páginas, porque acompanhar a vida de Lara Jean é viciante. Jenny Han tem uma escrita leve e fluída e entretém o leitor através da voz jovem da personagem principal; ela faz você se sentir como parte da história.
“Se o amor é como uma possessão, talvez minhas cartas sejam meu exorcismo. As cartas me libertam. Ou pelo menos deveriam.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário