Resenhas

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

[RESENHA] "POR LUGARES INCRÍVEIS", DE JENNIFER NIVEN

Nome: Por Lugares Incríveis
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Onde comprar: Buscapé
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente.

Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.

Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante.

Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.


A História

““A cadência do sofrimento começou.” — Cesare Pavese
Eu
estou
em
pedaços.”
Violet e Finch, os protagonistas de “Por Lugares Incríveis”, se conhecem de uma forma bem incomum: na torre do colégio, local onde foram parar depois de serem dominados por pensamentos suicidas. O encontro inesperado faz com que um salve a vida do outro e após o episódio Finch desenvolve um interesse e instinto protetor por Violet.

Quando o professor de geografia propõe um trabalho em dupla onde a classe deve visitar e documentar dois lugares do estado de Indiana, Finch imediatamente escolhe Violet como o seu par. O que é um dever para a maioria dos alunos se transforma em algo mais para os protagonistas, que escolhem vários lugares simples e incríveis para conhecerem.

As viagens fazem com que Violet e Finch se tornem cada vez mais próximos, chegando ao ponto de um relacionamento amoroso. Cada momento juntos resultam em descobertas um sobre o outro e também sobre si mesmos, conforme eles tentam se ajudar na luta contra seus próprios fantasmas.
“E se a vida pudesse ser assim? Só as partes felizes, nada das horríveis, nem mesmo as minimamente desagradáveis. E se a gente pudesse simplesmente cortar o ruim e ficar só com o bom? É isso que quero fazer com Violet — dar a ela só o bom, manter o ruim longe, para que o bom seja sempre tudo o que temos à nossa volta.”
Por um tempo ambos parecem conseguir sair das profundezas do desespero, porém a mente humana pode ser complexa e perigosa. Será que o amor é realmente o suficiente para curar os machucados de toda uma vida?

Personagens


Violet costumava ser uma garota vivaz, apaixonada pela família, cercada de amigos e que sonhava com o futuro, até uma tragédia abalar seu mundo. Tomada pela culpa e tristeza, ela se afasta das pessoas a quem antes era tão próxima e tem dificuldades em voltar a fazer as coisas que antes a deixavam tão feliz.
“Violet e a irmã, na última primavera. Violet sobreviveu, mas a irmã morreu. É por isso que ela está assim.”
Finch tem uma mente complicada e sombria e isso se deve, em grande parte, a sua família desestruturada. Cada uma de suas ações parecem feitas para chamar a atenção, ainda que de uma forma negativa, e talvez essa seja uma forma inconsciente de pedir ajuda para lidar com seus problemas. Ele finge que não se importa por ser “invisível” aos olhos dos outros, mas suas palavras me fazem pensar que no fundo ele se importa sim e que isso o machuca.
“Agora ela caminha muitos metros à frente, fingindo que não existo, mas tudo bem, estou acostumado, e o que ela não sabe é que isso não me intimida. As pessoas me veem ou não. Imagino como deve ser andar na rua, confiante e calmo, sentindo-se bem consigo mesmo, e simplesmente se misturar. Sem que ninguém se afaste, ninguém encare, ninguém espere ou imagine qual será a próxima maluquice que você vai fazer.”

Minha opinião


“Por Lugares Incríveis” possui uma narrativa verdadeira e intensa, que é tão maravilhosa quanto devastadora. A história torna-se cada vez mais cativante conforme avança e isso é graças ao relacionamento de Violet e Finch. A química entre eles é inegável e os acontecimentos na vida de ambos me deixaram curiosa para chegar ao final. Os dois jovens estavam envolvidos em muitos problemas emocionais e eu só queria terminar tudo, desejando que as coisas ficassem bem.
“Quero perguntar o que aconteceu com ele. É verdade que teve um colapso? É verdade que sofreu uma overdose? Onde estava no final do semestre passado?”
O livro é pesado e eu senti o impacto das emoções de Finch. Talvez por ter passado por uma época difícil ou apenas por me envolver tanto com a leitura, mas senti como se aquelas fossem minhas emoções. Me senti mal com os constantes pensamentos tristes e suicidas de Finch. Pensar que isso é tão real me parte o coração. Ninguém deveria passar por isso sozinho. Ninguém deveria passar por isso.
“O que não digo é o seguinte: quero viver. [...] estou lutando para permanecer neste mundo caótico de merda. Ficar no parapeito da torre do sino não é pra morrer. É pra ter controle. É pra nunca mais dormir de novo.”
“Por Lugares Incríveis” é uma tapa na cara da sociedade debochada. A história poderia muito bem ser baseada em fatos reais, porque o que acontece no livro não é algo difícil de se encontrar por aí. Durante alguma parte da minha leitura lembro-me de ter pensando sobre uma frase que vi no tumblr: “Somos uma geração de jovens depressivos”. É muito fácil encontrar nos dias atuais jovens depressivos, com pensamentos suicidas, sofrendo bullying e com problemas de autoestima. Assim como é muito fácil encontrar pessoas que consideram tudo isso uma frescura ou maneira de chamar a atenção, acreditando que isso é apenas uma fase. Às vezes aqueles que mais deveriam ajudar são justamente os que parecem não se importar.

Isso é exatamente o que acontece no livro. Finch está afundando e afundando e ninguém da sua família parece enxergar. Ele não só tem que passar por isso, como também precisa lidar com os demais alunos da escola, que o agridem física e verbalmente. As atitudes estranhas dele são consideradas normais e apenas Violet, com tão pouco tempo de convívio, consegue ver e se preocupar com os problemas que ele tem.
“— Ele vai voltar. Ele sempre volta. — Ele é assim mesmo. É o que ele faz.
Quero dizer pra ela e pro Charlie e pra Brenda, pra Kate, pra mãe dele: Ninguém se importa com o motivo pra ele fazer isso? Vocês já pararam pra pensar que pode ter alguma coisa errada?”
Sobre a edição do livro, está impecável. A capa é bonita e delicada, uma referência clara a história de Violet e Finch - assim como as ilustrações presentes em algumas páginas. A diagramação também está excelente e o tamanho e fonte das letras não incomodam a leitura. A Seguinte fez um trabalho maravilhoso mais uma vez.

Jennifer Niven escreve com maestria. Não é o leitor que se envolve com a sua narrativa, mas a narrativa que entra na mente do leitor. Algumas vezes você só se sente dentro da história quando está com o livro aberto na sua frente, mas no caso de “Por Lugares Incríveis” você continua sentindo os efeitos da leitura mesmo após fechar a obra. É uma montanha russa de sentimentos que faz você sorrir, chorar, se emocionar e torcer para que as coisas deem certo para os jovens protagonistas.
“Antes de morrer, Cesare Pavese, crente no Grande Manifesto, escreveu: Não nos lembramos de dias, nos lembramos de momentos.
Lembro de correr por uma estrada a caminho de um viveiro cheio de flores.
Lembro de seu sorriso e sua risada quando eu estava no meu melhor, e de ela me olhar como se eu não pudesse fazer nada de errado e fosse completo. Lembro de ela me olhar desse jeito mesmo quando não estava no meu melhor.
Lembro de sua mão na minha e dessa sensação, de que alguma coisa e alguém me pertenciam.”

2 comentários:

  1. Raramente leio resenhas depois que já li o livro, mas simplismente adoro esse livro, faço questão de lê-lo novamente e é muito bom quando encontro uma opinião igual a minha. Muito boa a resenha e mais importante (para mim) sem grandes spoilers.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thatti, fico feliz que tenha gostado da resenha. Evito ao máximo evitar spoiler, pois sei que não é todos que gostam. "Por Lugares Incríveis" tem uma história maravilhosa, impossível de esquecer. ♥

      Excluir

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.