Resenhas

quarta-feira, 2 de março de 2016

[RESENHA] "O NOME EM SEU PULSO", DE HELEN HIORNS

Nome: O Nome em Seu Pulso
Autora: Helen Hiorns
Editora: Farol Literário
Onde comprar: Buscapé

Livro enviado como cortesia pela editora
No mundo em que Corin vive, logo nos primeiros anos de vida, o nome da sua alma gêmea é marcado para sempre em seu pulso. Isso acaba definindo o destino de todos de forma quase irremediável, o que pode ser um problema para quem, como Corin, não gosta muito de seguir regras.

Afinal, e se você nunca encontrar a pessoa predestinada? Ou se encontrar e simplesmente não amá-la? E se a última coisa que você quer é ser encontrado?

Em um tempo muito a frente do nosso, depois que as más decisões dos homens quase levaram a destruição do planeta, o governo assumiu a responsabilidade das importantes decisões da vida de um indivíduo. Nessa sociedade as pessoas são levadas a crer que todos possuem uma alma gêmea, cujo nome está gravado no pulso. O nome aparece em algum momento da infância e então é coberto com uma espécie de pulseira, ficando fora da vista do resto do mundo.
"A partir do momento em que ele aparece pela primeira vez, você não revela a ninguém o nome em seu pulso."
É nesse contexto que vive Corin, uma adolescente problemática que faz o possível para ir contra as regras impostas pelo governo autoritário. Corin também tem o nome de seu futuro parceiro marcado no pulso, mas ao contrário dos outros, ela abomina a ideia de ter seu futuro pré-definido por algo (destino) ou alguém.
"Eu queria odiar a ideia de almas gêmeas, porque já me sentia horrorizada por não ter escolha a não ser seguir esse caminho de vida predestinado [...]."
Além da frustração por não poder tomar decisões sobre sua própria vida, a protagonista também tem que lidar com sua família ‘anormal’ – pelo menos para os padrões daquela sociedade. Seu pai morreu em um acidente de carro, a mãe é pouco presente e ela vive em pé de guerra com a irmã, Jacinta, que volta e meia precisa internar-se em um hospital psiquiátrico.

Corin culpa o governo por seus problemas e por isso tenta contrariá-lo. Ela forja outro nome no lugar daquele que está em seu pulso e sai namorando todos os garotos que se chamam Thomas – ou algo parecido com isso -, mentindo e manipulando aqueles que estão ao seu redor.

As mentiras e confusões duram por alguns anos, até o surgimento de Colton, um jovem colega de escola que consegue atravessar a barreira invisível que Corin construiu ao redor de si para impedir outras pessoas de se aproximarem. O garoto consegue ver através das mentiras de Corin e mais surpreendente, consegue fazê-la falar sobre os sentimentos e assuntos que ela sempre fez questão de guardar só para si.
"Infelizmente, a verdade é que, enquanto eu perdia minha fé na humanidade quase todos os dias, havia pessoas como Colton que ocasionalmente ressuscitavam minha esperança."
A amizade com Colton desperta sensações com as quais Corin luta contra. Além disso, os problemas relacionados à sua família e as consequências de suas ações rebeldes não param de aparecer. Ela continua correndo atrás dos mistérios que envolvem sua vida ou governo, mas quando os segredos finalmente vierem à tona, estará Corin realmente preparada para lidar com eles?

“O Nome em Seu Pulso” é uma distopia diferente de outras que eu tenho encontrado por aí, isso porque não há um grupo lutando por uma revolução. É claro que há outras pessoas insatisfeitas com o sistema, que burlam as regras e passam umas para as outras informações confidenciais, mas quando as consequências aparecem, é cada um por si. A verdade é que muitos reclamam, mas ninguém está fazendo algo para tentar mudar a sociedade.

A história me pareceu um pouco confusa no início, mas depois que peguei o ritmo tudo começou a fazer sentido. A narrativa é bem construída e intensa, e não falha em conseguir a atenção do leitor. Eu avancei rapidamente na leitura e como não tinha ideia do que esperar do desfecho, fiquei ansiosa para terminar o livro logo – no entanto, acabei me decepcionando, pois o final de Corin meio que fica em aberto, o que não me agrada de jeito nenhum.

Os personagens da história, donos de uma personalidade forte, são apaixonantes. Corin é o tipo de garota que corre em direção aos problemas e é errada de muitas maneiras, mas a vida a transformou no que ela é. Ainda assim, ela é muito carismática e consegue encantar o leitor.
"Nada estraga mais uma pessoa quanto os outros esperarem algo dela. O mundo deixa você para baixo, você se irrita, não consegue corresponder as expectativas, ou, quando faz, não é exatamente como esperou que fosse."
“O Nome em Seu Pulso” acabou se mostrando muito melhor do que eu imaginava. A história é fluída e cheia de reflexões sobre as ações das pessoas, como se relacionam umas com as outras e as expectativas da sociedade. Recomendo para os amantes de distopia que procuram por algo diferente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário