Resenhas

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

[RESENHA] "ERA UMA VEZ NO OUTONO", DE LISA KLEYPAS

Nome: Era Uma Vez No Outono
Autora: Lisa Kleypas
Série: As Quatro Estações do Amor (#02)
Editora: Arqueiro
Onde ComprarBuscapé

Livro enviado como cortesia pela Editora Arqueiro
A jovem e obstinada Lillian Bowman sai dos Estados Unidos em busca de um marido da aristocracia londrina. Contudo nenhum homem parece capaz de fazê-la perder a cabeça. Exceto, talvez, Marcus Marsden, o arrogante lorde Westcliff, que ela despreza mais do que a qualquer outra pessoa.

Marcus é o típico britânico reservado e controlado. Mas algo na audaciosa Lillian faz com que ele saia de si. Os dois simplesmente não conseguem parar de brigar.

Então, numa tarde de outono, um encontro inesperado faz Lillian perceber que, sob a fachada de austeridade, há o homem apaixonado com que sempre sonhou. Mas será que um conde vai desafiar as convenções sociais a ponto de propor casamento a uma moça tão inapropriada?

Resenhas | Série “As Quatro Estações do Amor”


  


Lillian estava naquele estágio da vida em que pensamos: sempre tem como piorar. Sua família saiu dos Estados Unidos para a Inglaterra em busca de parcerias para a empresa do sr. Bowman e claro, para encontrar maridos ricos e aristocratas para as duas herdeiras da família: Lillian e Daisy. Com o tempo passando e nada de pretendentes para as duas exóticas jovens americanas, os pais começam a se preocupar e cogitam voltar para a terra natal. Apesar de desejarem se casar, tanto Lillian quanto Daisy desejam fazer isso ao encontrar o amor, e a ideia de se casar sem ele e se tornar completamente submissa ao marido não as motiva a procurarem pretendentes. Lillian era a que mais se opunha a esse modelo de uma esposa que tem todas as suas vontades subordinadas a vontade do marido, e como os aristocratas eram os mais adeptos a esse estilo, ela se revoltava mais ainda por seus pais visarem apenas essa classe para futuro prometido das duas.

Assim que as Bowman chegaram, fizeram amizade com outras duas damas que também estavam sofrendo com a falta de propostas de casamento e com a rejeição da sociedade, Annabelle e Evie. Se auto nominando Flores Secas, as quatro se unem para arrumarem o marido perfeito para cada uma, e enquanto isso não acontece elas se divertem. Sem se importarem com modos e etiqueta, elas constroem uma amizade sincera e douradora. A primeira a conseguir se casar foi Annabelle com o terrível Simon Hunt, e mesmo casada ela não se separa das amigas.

O pai de Lillian desejava uma parceria empresarial com o famoso lorde Westcliff, que também era melhor amigo e parceiro de Simon. Assim que se conhecem, Lillian e Marcus declaram ódio mútuo, visto que cada um representava ao outro aquilo que eles mais detestavam no universo. Marcus era o típico aristocrata, que cresceu aprendendo todas as normas e regras da classe e a ser o mais arrogante possível. Já Lillian representava a total e completa revolta ao modelo aristocrata, pois era uma mulher que acreditava na igualdade de sexos entre outras coisas que eram extremamente escandalosas para os aristocratas.
" Lilian observou sua luva branca pousar lentamente no ombro de Westcliff, sentindo a superfície dura e sólida sob sua palma.
   - Agora olhe para mim - sussurrou ele.
  Ela ergueu os cílios. Seu coração deu um pulo ao ver os olhos dele, cor de café repletos de ternura. Sustentando seu olhar, Westcliff a conduziu na valsa usando o impulso do primeiro giro para trazê-la mais para perto dele. Logo estavam perdidos no meio dos dançarinos, girando com a graça e a suavidade do voo de um cisne. Como Lillian podia esperar, Westcliff a conduziu firmemente, sem lhe dar qualquer chance de errar um passo. "
Com isso em mente, os dois procuram se evitar o máximo possível. Mas com a quase parceria entre as famílias, fica praticamente impossível continuar fugindo um do outro. A família Bowman vai se instalar em Stony Cross Park, famosa mansão da família Marsden, juntamente com vários outros convidados para as festividades da época. Com toda essa proximidade, a atração entre os dois fica incontrolável e também vem para os dois maior entendimento de um sobre o outro. Eles passam a se conhecer melhor e ver que nem tudo é o que parece ser, e é assim que vem o questionamento do coração para os dois: será mesmo que eles se odiavam, ou só usavam disso para esconder outro sentimento mais forte? 
"   Tentando das certa aparência de ordem às suas emoções, Marcus observou Lillian Bowman se afastar com um olhar que deveria ter queimado as costas da jaqueta de montar dela. Em geral ele achava fácil evitar e avaliar com objetividade qualquer situação. Contudo, nos últimos minutos, qualquer vestígio de autocontrole desaparecera.
     Quando Lillian cavalgava desafiadoramente na direção do obstáculo, Marcus vira sua momentânea perda de alinhamento, o que poderia ser fatal em uma sela feminina, e a ideia de ela cair o abalara. Naquela velocidade, teria fraturado a espinha ou o pescoço. E ele não pudera fazer nada além de observar. De repente ficara gelado e nauseado de medo,  e quando a pequena idiota conseguiu aterrissar em segurança, todo o medo se transformara em fúria abrasadora. Não tomara nenhuma decisão consciente de se aproximar de Lillian, mas de repente ambos estavam no chão, os ombros estreitos dela em suas mãos, e tudo o que ele queria fazer era esmagá-la nos braços em um paroxismo de alívio, beijá-la e depois esquertejá-la.
    O fato de a segurança de Lillian significar tanto para ele.... não era algo em que queria pensar."


Isa diz


Não sei o que dizer para vocês sobre este livro. Quando relembro de algumas partes começo a rir muito, e outros momentos percebo um pouco tarde as lágrimas molhando a página. Sei que sempre me abro para os livros, como se os desse uma página branca e os deixassem marcar nela o que quisessem, mas nunca antes me emocionei e senti paz de espírito ao mesmo tempo. Surpreendente, não é? A história de Marcus e Lilian eu já esperava desde o livro de Annabelle e Simon, pois logo percebi que se tornariam um casal encantador. E foi dito e feito. 
" - Westcliff - sussurrou, dando alguns passos vacilantes.
   O resto da sala pareceu desaparecer. O rosto moreno de Marcus estava pálido e ele a olhou com grande intensidade, como se temesse que ela pudesse desaparecer. Marcus apressou o passo e, quando a alcançou, a abraçou com força, puxando-a para si.
  - Meu Deus - murmurou, e enterrou o rosto nos cabelos de Lillian.
  - Você veio - disse ela, ofegante, todo o seu corpo tremendo. - Você me encontrou.
   Ela não podia imaginar como isso era possível. Ele cheirava a cavalos e suor e suas roupas estavam frias do ar lá fora. Sentindo-a tremer, Marcus a puxou mais para dentro de seu casaco, murmurando palavras carinhosas junto aos cabelos dela.
  - Marcus - disse Lillian, rouca. - Eu enlouqueci? Ah, por favor, seja real. Por favor, não vá embora...
  - Eu estou aqui - disse Marcus com a voz baixa e trêmula. - Estou aqui e não vou a lugar algum. - Ele se afastou um pouco, e seus olhos escuros como a meia-noite a examinaram da cabeça aos pés , as mãos tatearam com urgência o corpo dela."
Os dois começam um estilo de "Os Cinco Estágios da Perda" adaptado para o amor. Com a famosa negação, eles declaram desprezo mútuo aos quatro ventos, fingindo que a atração que sentem um pelo outro não existe. Depois vinha a raiva, que era canalizada em discussões engraçadas e xingamentos velados. A negociação vem ao perceberem que sentiam atração um pelo outro, mas que isso necessitava de controle, então decidem se evitar ao máximo. Como o amor já estava florescendo, a depressão veio pela saudade e iminente falta de entendimento sobre como uma pessoa tão oposta poderia rapidamente tornar-se o centro de seu universo, e também com a falta de respostas sobre como resolver toda essa situação, visto que o medo de estragar tudo dificultava a vontade de se arriscar.

E a aceitação finalmente vem quando ambos percebem que tudo fazia sentido quando estavam juntos, e que era impossível continuar fugindo de um amor tão forte. Foi engraçado e um tanto quanto fofo ver os dois se apaixonarem aos poucos. Irem cedendo pouco a pouco a um amor tão grande que os assustava, devido a tamanha intensidade. Foi como diz o poeta: "foi assim viu, me vi na sua mão."

Seria clichê se eu falasse que a autora conseguiu, mais uma vez, me surpreender ao final do livro? Ela consegue construir uma história cativante logo ao início, criando uma leitura ininterrupta, e ao longo do caminho te faz passar por altos e baixos, juntamente com os personagens. O leitor consegue experimentar de perto cada emoção conflitante, e perto do final o desespero só aumenta ao ver o gran finale reservado para o casal. E quando você pensa que ela deixará a peteca cair com o felizes para sempre, Lisa Kleypas termina atiçando a curiosidade de todos ao deixar no ar o destino dos integrantes da série.
"   - Ainda não estou cansada - insistiu Lillian.
    - Feche os olhos - disse Marcus. Ele roçou a boca na testa e nas pálpebras frágeis dela. - Descanse. Você precisa recuperar as forças.. Porque, quando estivermos casados, não conseguirei deixá-la em paz. Vou querer amá-la em todos os minutos do dia. - Ele a puxou para mais perto. - Não há nada mais bonito no mundo do que seu sorriso.. nenhum som mais doce do que o da sua risada.. nenhum prazer maior do que tê-la em meus braços. Hoje percebi que não poderia viver sem você, minha diabinha teimosa. Nesta vida e na próxima, você é minha única esperança de felicidade. Diga-me, Lillian, meu amor, como conseguiu entrar tão fundo no meu coração? Ele parou para beijar a pele sedosa e úmida dela.. e sorriu quando um leve ronco feminino rompeu o tranquilo silêncio."
Amei ver Annabelle e Simon tão próximos neste livro, e queria muito que a autora fizesse uma continuação da vida dos dois, mesmo que breve. A amizade deles com os personagens principais é tocante e muito fofinha. Quanto a editora, só posso dizer: você é a minha favorita, Arqueiro! Capa linda e revisão perfeita. Agora o desafio é conseguir se controlar para a espera do lançamento do próximo da série :((


Clique aqui e leia um trecho do livro, disponibilizado no site da Arqueiro.


2 comentários:

  1. Olá :)
    O livro é demais mesmo, esse casal é diferente, mas muito apaixonado! O final do livro foi de arrepiar mesmo e não consegui esperar e li o terceiro volume num só dia! Devo dizer que é tão bom quanto o segundo senão melhor, adorei sua resenha!

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me fala, eu tô DOIDA para ler o próximo!! Muito, muito obrigada :))

      Excluir

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.