Resenhas

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

[RESENHA] "CINDERELA POP", DE PAULA PIMENTA

Nome: Cinderela Pop
Autora: Paula Pimenta
Editora: Galera Record
Onde comprar: Buscapé
A versão estendida do conto publicado em "O livro das princesas".

Cintia é uma princesa dos dias atuais: antenada, com opiniões próprias, decidida e adora música. Essa princesa pop morava com os pais em um castelo enorme de onde via toda a cidade. Todas as noites, ela olhava pela janela, de onde ficava admirando a vista e sonhando com um príncipe que ainda não conhecia. Porém, um dia, o castelo de Cintia desmoronou e com ele tudo à sua volta. Com a separação dos pais, ela vai morar com a tia, se afasta do pai e, principalmente, deixa de acreditar no amor.

Ela só não contava com um detalhe. Havia mesmo um belo príncipe encantando em sua história. E tudo o que ele mais queria era descongelar o coração da nossa gata (nada) borralheira!

- Paula Pimenta é a autora nacional mais vendida de 2014, ultrapassando a marca de meio milhão de exemplares vendidos no Brasil. 

Paula Pimenta está de volta com essa divertidíssima versão moderna do conto da Cinderela.

Cintia é uma adolescente que viu seu mundo cair em ruínas após o fim do casamento de seus pais, depois que ela flagrou seu pai com outra mulher. Com o divórcio concluído sua mãe conseguiu um emprego no Japão e mudou-se para o outro lado do mundo, enquanto seu pai casou-se com a amante e adotou as duas filhas dela que, assim como a mãe, não gostam de Cintia. Brigada com o pai e impossibilitada pelos estudos de seguir a mãe para outro país, nossa protagonista acaba indo morar com a tia e, por influência do namorado desta, adota um novo hobby que posteriormente passa a ser profissão: ser DJ.

Cintia é apaixonada por música e busca nisso uma distração para os problemas de sua vida. Combinar essa paixão com um meio de ganhar dinheiro torna-se muito conveniente, uma vez que ela não quer ter nada que venha de seu pai. Ela também esconde dele seu novo trabalho, pois sabe que ele não aprovaria a atividade e se aproveitaria do fato dela ser menor de idade para proibi-la de exercer a profissão.

Cintia não estava exatamente vivendo o momento mais maravilhoso de sua vida, mas ela estava conseguindo lidar com o jeito como as coisas caminhavam, até surgir um problema que ela não poderia resolver sozinha. A escola proibiu o uso de celulares, sendo que o intervalo das aulas era o único horário disponível para conversar com a mãe. Agora ela precisa que seu pai interceda por ela e consiga uma permissão especial para o uso do aparelho.

Ele aceita ajudá-la, mas com uma condição. Cintia deve comparecer à festa de 15 anos das filhas gêmeas da madrasta e assim dar o primeiro passo para o início de um bom relacionamento com elas. É uma troca simples, mas Cintia tem dois problemas com isso: em primeiro lugar, ela ainda está magoada com a traição do pai e se recusa a aceitar a nova família dele; o segundo problema é que Cintia, que já sabia ter um compromisso profissional para essa mesma noite, descobre que a festa em que tocará é justamente a festa das enteadas de seu pai.

No entanto, o sacrifício vale a pena pela recompensa de poder continuar em contato constante com a mãe e por isso Cintia arma um plano para conseguir tocar sem ser reconhecida e ainda comparecer à festa – que por acaso é a fantasia.

Na festa tudo sai conforme o planejado e ela ainda consegue chamar a atenção de um gatinho mascarado que, após uma boa conversa, a deixa totalmente encantada. Apesar disso, Cintia deixa o momento passar, pois está desiludida pelo amor. Ela recusa-se a entregar seu coração para outra pessoa depois de ver o fim que teve o relacionamento de seus pais.
"O amor não existe. É uma invenção de Hollywood para iludir mocinhas inocentes e deixá-las com o coração partido depois [...]" 
O que ela não esperava é que o garoto misterioso fosse Fredy Prince, uma estrela adolescente que está bombando no cenário musical atual e também um cantor que ela odeia. Mais surpreendente é quando Fredy começa a procurar por ela, a DJ Cinderela, em seus shows e através das redes sociais, usando o par perdido do tênis all star personalizado dela para garantir que vai encontrar a garota certa.
" Cinderela Pop... Nem tive a chance de me despedir. Você realmente desapareceu as doze badaladas".
No entanto, a madrasta de Cintia acaba descobrindo que ela era a DJ da festa e ameaça revelar o segredo para seu pai caso ela não entregue o outro par do sapato. Agora Cintia precisa dar um jeito de contornar as chantagens e assim revelar-se para o seu príncipe encantado.

Terminei “Cinderela Pop” em um só noite e isso se deve tanto ao fato do livro ser bem curto, com pouco menos que duzentas páginas, quanto por sua história maravilhosamente envolvente. Paula Pimenta tem uma escrita leve e fluida e sabe como prender a atenção do leitor desde a primeira página. A leitura é tão gostosa e rápida que é impossível chegar ao final sem aquele gostinho de quero mais.
“Como se fossem quadrinhos em preto e branco, a animação contava a história de uma princesinha que, em vez de sapato alto, usava All Star, pois seus pés doíam muito se calçasse outro tipo de sapato. Um dia, ela conheceu um príncipe. E a vida dela ficou colorida.”
O livro traz todos os elementos conhecidos do famoso conto da gata borralheira, porém de um jeito moderno e com uma protagonista atrevida que não teme enfrentar a madrasta – mesmo com as consequências que ela sabe que sempre vem. O ‘príncipe’ não apareceu tanto quanto eu gostaria, mas às vezes em que ele foi citado na história já foi o bastante para eu me apaixonar. Fredy Prince é romântico, determinado e completamente encantador.

Quando a edição do livro, só posso dizer que está impecável. E essa capa lacradora? Fiquei apaixonada pela arte desde o primeiro momento em que a vi. A diagramação está excelente, assim como o tamanho e a fonte das letras, que são adequadas para uma leitura confortável.

“Cinderela Pop” é uma versão estendida do conto que a Paula Pimenta escreveu para o “Livro das Princesas” – que eu não li. Fiquei louca de ansiedade por conhecer a história desde que a Galera Record anunciou uma edição separada e posso dizer que não me decepcionei. O livro é perfeito para quem procura uma leitura rápida e descontraída.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.