Resenhas

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

[RESENHA] "COMO SE APAIXONAR", DE CECELIA AHERN

Nome: Como Se Apaixonar
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Onde ComprarBuscapé

Livro enviado como cortesia pela Editora NC
“Momentos são preciosos; às vezes eles se demoram e, em outras ocasiões, são passageiros, mas, ainda assim, muito pode ser feito durante eles; você pode mudar de ideia, pode salvar uma vida e pode até se apaixonar.”

Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor.

Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo.

Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?

Sabe aquele momento em que estamos no carro andando por uma estrada asfaltada e larga, mas de repente o motorista dá uma freada que te faz bater forte contra o assento e acaba saindo do asfalto ao entrar numa estradinha de terra bem estreita e perigosa? Era mais ou menos assim que Christine se encontrava. Tentando se recompor em sua própria vida mas sem a mínima ideia de como realmente fazer isso, ela segue os conselhos de todos os seus livros "Como Fazer". Já viu aqueles livros de auto-ajuda que prometem resolver todos os seus problemas e dilemas se seguir corretamente as instruções dadas? Era isso que ela fazia. Seguindo uma dessas ordens, ela parte no meio da noite em busca de um lugar onde ela foi feliz. Mas o que ela encontra lá não relembra nenhuma memória feliz, mas sim a faz pegar aquela estradinha de terra. 
"Às vezes, quando você vê ou vivencia algo muito real, fica com vontade de parar de fingir. Você se sente um idiota, um charlatão. Fica com vontade de afastar-se de tudo que é falso, seja algo inocente e inofensivamente falso ou algo mais sério; como seu casamento. Isso aconteceu comigo."
Ao testemunhar um homem tentar suicídio, Christine decide parar de fingir ser feliz e passa a agir diferente. A primeira coisa que decide é se separar do marido, o que causa um impacto maior em sua vida do que havia imaginado. Depois, ela assume que precisa diminuir seus gastos, já que seu ex ficou com a casa, o carro e o dinheiro, e decide que precisa demitir sua secretária. Seguindo as dicas de seus livros, ela vai tentando se reerguer, mas nem tudo segue como planejado e ela acaba piorando tudo ao seguir essas instruções. Porém um dia ela conhece Adam, e da forma mais irônica possível que a vida poderia orquestrar: ele estava em cima de uma ponte, tentando suicídio..

Quando Adam e Christine se encontram, ambos estão abalados e precisam encontrar uma esperança para viver. Assim, eles fazem um acordo: caso Christine conseguisse convencer Adam a amar a vida até a data de ser aniversário de 35 anos, o que seria em duas semanas, ele não se mataria. Mas caso ela falhe, no dia de seu aniversário ele pularia da ponte. E é assim que começa a jornada de Adam e Christine em busca de algo mais. 
"Tinha uma tarefa enorme diante de mim e nenhuma ideia de como proceder. De alguma forma, eu precisava fazer com que ele fosse ver um terapeuta. Pensei em maneiras de fazê-lo ir. Talvez fingir que estávamos indo a algum outro lugar e chegar a um consultório? Mas, se eu fizesse isso, o enganasse ou tentasse ludibriá-lo de qualquer forma, perderia sua confiança para sempre. E, então, ele não teria  nem a mim para ajudá-lo, por mais inútil que eu fosse."
Entretanto, enquanto Christine o ajuda a se recompor e consequentemente faz o mesmo consigo, acaba percebendo que com Adam ela finalmente descobriu o que era amor. Adam tinha muito o que resolver em sua vida, e queria começar reconquistando sua namorada, que o traiu com seu melhor amigo. Mas ao colocar esse plano em ação com Christine, ele percebe que estava gostando de dar uma chance a vida, e que só ela despertava essa vontade nele. Em meio a toda essa confusão, os dois perdidos buscam como ser feliz e acabam descobrindo também como se apaixonar.
 "No entanto, Adam... Estar com Adam fazia com que eu me sentisse viva. Adam me intoxicava com efeitos desconcertantes. Apesar do sofá enorme, sentamos perto um do outro no meio. Eu era como uma colegial apaixonada. Senti-me congelar e ficar toda animada. Ele estava perto de mim! "
Eu não esperava gostar tanto desse livro, porque eu não gosto de histórias dramáticas. Mas acabei me surpreendendo muito e estou feliz pela Novo Conceito ter me dado a chance de experimentar essa reviravolta. Mesmo sendo um livro com drama, encontrei comédia e isso me ganhou. Com um romance leve, a autora nos salva de mais um clichê romântico e foca na vida dos personagens, em nos mostrar que ambos precisavam de ajuda. Apesar de Christine parecer ser quem dá a ajuda, para mim Adam também a fez aprender muito, e é nessa caminhada que o amor acontece.
"Adam enfiou seu gorro de lã na minha cabeça e envolveu meu corpo em seus braços em um esforço para me aquecer. A última vez em que tínhamos estado naquela posição fora quando estávamos na ponte e meus braços tinham estado em volta de Adam. Agora, os braços dele estavam bem em volta de mim. Seu queixo se apoiou no topo da minha cabeça e ele esfregou meus ombros tentando me manter quente. Meu coração bateu forte por estar tão perto dele. Eu não tinha certeza se era de novo o sentimento que eu tivera na ponte ou se era apenas ele, a proximidade dele, seu corpo apertado contra o meu, seu aroma dominando meus sentidos."
Sinceramente, também não foi a melhor leitura de todos os tempos. Apesar de ser fofo e ser uma história real, eu particularmente não acredito que o amor salva as pessoas. Calma, deixe-me explicar: se você tem problemas, coisas mal resolvidas, se apaixonar não resolve tudo. Existem coisas que precisamos descobrir por nós mesmos, e amar ou não alguém não muda isso.
"Então, de repente, muito de repente, pela primeira vez em duas semanas, ele passou da porta, do mundo dele para o meu mundo, e ele estava no meu quarto e estava vindo na minha direção, e meu rosto estava nas mãos dele e ele estava abaixando seu olhar para mim e a água do banho do cabelo dele estava pingando na minha pele, os lábios dele estavam nos meus e ele me segurou ali, bela e demoradamente, um roçar suave dos lábios dele contra os meus por muito tempo." 
Achei legal porque a autora também concorda com isso, mas ainda assim, senti que ela não nos contou toda a história e no final me decepcionei por soar como se as duas semanas em que eles conviveram gerou um amor tão forte que fez os dois mudarem e descobrirem que amam viver. Eu particularmente achei essa parte muito ficcão, e queria um dia poder saber como realmente tudo aconteceu. Mas posso sim estar errada e o amor acontecer dessa forma. Uma coisa que se tem certeza sobre o amor é que nunca temos certeza de nada. 

Ainda assim, a autora me encantou e me fez refletir sobre como uma decisão pode alterar todo o curso da nossa vida, e mesmo parecendo trágico no momento coisas melhores ainda virão. Uma visão otimista demais para quem foi uma vida pessimista, eu sei, mas acredito que esse livro foi sobre isso: esperança, otimismo. De que adianta viver sempre esperando o pior, o final de tudo? Espero que deem uma chance e se emocionem como eu.
"A vida é uma série de momentos e momentos sempre mudam, assim como pensamentos, negativos e positivos. E, embora possa ser da natureza humana ficar se prendendo a eles, não faz sentido, como acontece com muitas coisas naturais; não faz sentido permitir que um único pensamento habite a mente porque pensamentos são como hóspedes ou aqueles amigos que só aparecem nos bons momentos. Assim que chegam, podem ir embora, e até mesmo aqueles que levam muito tempo para emergir por completo podem desaparecer em um instante. Momentos são preciosos; às vezes eles se demoram e, em outras ocasiões, são passageiros, mas, ainda assim, muito pode ser feito durante eles; você pode mudar de ideia, pode salvar uma vida e pode até se apaixonar."



Nenhum comentário:

Postar um comentário