Resenhas

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

[RESENHA] "A MENINA DA NEVE", DE EOWYN IVEY

Nome: A Menina da Neve
Autora: Eowyn Ivey
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Buscapé

Livro enviado como cortesia pela NC
Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece.

Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca.

Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas , eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.

Nessa história fantástica somos transportados para o ano de 1920 e apresentados a Mabel e Jack, um casal de velhos que vivem assombrados pela perda de seu único filho, um bebê que já nasceu morto. Cansados dos julgamentos de conhecidos e familiares, eles abandonam tudo em sua terra natal para tentar construir uma nova vida no Alasca.

O Alasca era como um sonho na mente de Mabel, porém se mostrou um lugar mais duro do que ela poderia imaginar. O trabalho árduo acabou por afastar Jack, que chegava em casa cansado e com pouca disposição para conversar com a esposa; isso somado a aura do Alasca – um lugar frio, escuro e silencioso – e as lembranças do filho, fazem com que ela caia em depressão, chegando a pensar em suicídio.

As coisas começam a melhorar depois que duas mudanças quebram a rotina de Mabel e Jack. Uma das modificações foi à aproximação do casal protagonista com seus vizinhos, Esther e George e seus filhos - principalmente o caçula de treze anos, Garret. Começou de forma simples e desconfiada, mas se tornou um laço forte de amizade. Esther, George e Garret foram cruciais para a sobrevivência de Mabel e Jack durante o inverno rigoroso do Alasca.

A outra modificação veio junto a um raro dia de descontração, quando o velho casal constrói uma boneca feita de neve e, alguns dias depois, após uma forte nevasca, percebem uma presença rondando sua cabana. Trata-se de uma criança, uma garota de feições incrivelmente semelhantes à menina que eles criaram com a neve.
“Era fantástico e impossível, mas Mabel sabia que era real — ela e Jack a tinham feito com neve e galhos e capim congelado. A verdade a impressionou. A criança não apenas era um milagre, como também era criação deles. E ninguém cria vida e a abandona.”
Inicialmente a garota, Faina, não deixa que se aproximem dela, mas ela mantém-se sempre por perto, deixando presentes na porta de Jack e Mabel quando eles menos esperam... até o dia em que ela finalmente aceita o convite deles para jantar.

Depois disso as visitas de Faina tornam-se frequentes, o que faz com o casal se apegue muito a ela. A garota retribui o carinho, mas ela tem o espírito livre e vem e vai pela floresta conforme sua vontade, durante todo o inverno. Apenas no inverno. É difícil para o velho casal aceitar que uma criança ande dessa maneira, dormindo na floresta e vivendo da caça, sem um adulto por perto para protegê-la, mas eles sabem que obrigá-la a fazer qualquer coisa é o mesmo que se arriscar a perdê-la.
“– Por quê? – implorou Mabel. – Por que ela ia querer ficar lá fora, sozinha e com frio? Ela não sabe que a trataríamos bem? [..] Ela não entende que a amamos?”
Jack acredita que Faina é uma órfã indomável, que aprendeu a sobreviver na floresta que ela parece conhecer melhor que qualquer um. Já Mabel acredita que Faina seja um espirito da neve, uma garota que criou vida depois de construída com muito amor. Ela vê na menina a filha que nunca teve e não consegue evitar contar para Esther e sua família sobre Faina. No entanto, eles relutam em acreditar, pois ninguém jamais ouviu falar em qualquer criança perdida na floresta.

Faina. A garota que é dona de cabelos tão loiros que eram quase brancos e que parece flutuar sob a neve. Será ela um fruto da imaginação de Jack e Mabel, ou um sonho mágico que se tornou realidade?

Baseada em no conto russo “A Donzela da Neve”, o livro de Eowyn Ivey se mostrou algo completamente diferente do que imaginei. Eu encontrei algumas versões de tal conto na internet e, pelo que pude perceber, a autora pegou a essência da história e criou algo novo, porém tão mágico e tocante quanto sua fonte de inspiração.

A história é contada através dos anos e a cada página ia ficando melhor, tornando a leitura ainda mais envolvente. Assim como Mabel e Jack, o leitor também se questiona sobre Faina. Qual sua origem? É magia? Ela é real, ou apenas uma doce ilusão? A narrativa foi bem conduzida e várias vezes eu achei que já sabia o que aconteceria a seguir, só para depois me deparar com um novo rumo para as coisas. Esse caminho traiçoeiro está bem presente no final, que foi inesperado para mim.
“Podemos fazer isso, não, Mabel? Inventar nossos finais e optar pela felicidade em vez da dor?”
A capa do livro dispensa comentários. Ela é linda e ponto. A diagramação está perfeita e a fonte e tamanho das letras, na minha opinião, são bem confortáveis para leitura. Há alguns poucos erros de revisão, mas nada que tenha atrapalhado.

“A Menina da Neve” possui uma narrativa bem construída e intensa, assim como seus personagens. O livro começa com um ar sombrio devido aos pensamentos obscuros de Mabel e depois vai alternando entre momentos felizes, tristes, angustiantes, animados e entre outros. É uma montanha russa de sentimentos, uma leitura que vale a pena.


Clique aqui e leia um trecho do livro, disponibilizado pela Novo Conceito.


2 comentários:

  1. Estava super curiosa sobre esse livro, e me surpreendi bastante com a resenha. Nada do que esperava, mas diferente. Acho que vale a pena a leitura.
    Adorei a resenha!
    Beijinhos da Bru
    garotasmore-girls.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Bruna. Esse livro se mostrou algo BEM diferente do que eu imaginava, mas ainda assim é muito bom. Espero que você dê uma chance sim e que gostei da leitura. =D

      Excluir

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.