Resenhas

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

[RESENHA] "SEDUÇÃO AO AMANHECER", DE LISA KLEYPAS

Nome: Sedução ao Amanhecer
Autora: Lisa Kleypas
Série: Os Hathaways #02
Editora: Arqueiro
Onde ComprarBuscapé
O cigano Kev Merripen é apaixonado pela bela e bem-educada Win Hathaway desde que a família dela o salvou da morte e o acolheu, quando era apenas um menino. Com o tempo, Kev se tornou um homem forte e atraente, mas ainda se recusa a assumir seus sentimentos por medo de que sua origem obscura e seus instintos selvagens prejudiquem a delicada Win.

Ela tem a saúde fragilizada desde que contraiu escarlatina, num surto que varreu a cidade. Sua única chance de recuperação é ir à França, para um tratamento com o famoso e bem-sucedido Dr. Harrow.

Enquanto Win está fora, Kev se dedica a coordenar os trabalhos de reconstrução da propriedade da família, em Hampshire, transformando-se num respeitável administrador, mas também num homem ainda mais contido e severo.

Anos depois, Win retorna, restabelecida, mais bonita do que nunca...e acompanhada por seu médico, um cavalheiro sedutor que demonstra um óbvio interesse por ela e desperta o ciúme arrebatado de Kev.

Será que Win conseguirá enxergar por baixo da couraça de Kev o homem que um dia conheceu e tanto admirou? E será que o teimoso cigano terá coragem de confrontar um perigoso segredo do passado para não perder a mulher da sua vida?


Resenhas | Série “Os Hathaways”


  


Win Hathaway era apaixonada por Kev Merripen desde o momento em que se conheceram. Sua família o acolheu após encontrá-lo todo ferido e cheio de machucados, agressivo e furioso após uma perseguição de ciganos. Depois de cuidarem dele, pensaram que ele partiria, pois era cigano. Porém, Merripen decide agradecer aos Hathaways trabalhando para eles. Apesar de todos o tratarem como um membro da família, Kev insistia em se colocar no lugar de criado, se permitindo apenas assentar a mesa do jantar com a família. Win sonhava com o dia em que se tornaria mulher de Kev, mas enquanto não se curasse completamente não poderia lutar por ele. Ainda sofrendo os impactos da escarlatina que contraiu há dois anos, ela sempre estava fraca e cansada, sem poder fazer o que toda garota normal fazia, como dançar, casar e ter filhos.

É aí que ela decide mudar esse destino certo de uma vida em repouso e vai para uma clínica na França, onde vários pacientes com casos semelhantes ao dela tinham se recuperado. Com Kev sempre resistindo a assumir seus sentimentos por ela, Win parte e fica fora durante três anos. Merripen sempre teve a certeza de que Win o pertencia, mas sabia que não podia tê-la. Eles eram opostos em todos os sentidos, e para ele sempre seria assim. Amar Win era como uma fraqueza para ele, e ficar longe dela era o melhor, porém não conseguia. Durante o tempo afastados ele trabalhava para esquecê-la, e as cartas que ela enviava não permitiam isso. 

Ao se encontrarem novamente, Win esperava finalmente tê-lo, mas ao perceber que Kev estava mais decidido do que nunca a afastá-la, decide provocá-lo. Seu médico da França, que há algum tempo a cortejava, decide viajar com ela e Leo, seu irmão, para a Inglaterra. Ao ver que Kev realmente não cedia fácil, ela decide corresponder ao médico, o que obriga Merripen a tomar uma decisão: se permitir e aceitar ter sido "amaldiçoado" com o encantamento do amor e ter coragem para se entregar a Win.
   "-Faça-me entender. Diga-me o que há de tão terrível para insistir em me manter afastada.

    Ele balançou a cabeça.

    - Então pare de nos torturar - continuou ela.- Deixe-me, afaste-se...

    - Não posso - explodiu ele. - Maldição, não posso.

    E antes que ela conseguisse dizer qualquer coisa, ele a beijou. "
Acredito que deu para ter uma ideia de como é o romance entre Kev e Win, não é? Quem nunca se deparou com ou foi parte de um casal que, apesar de totalmente diferentes um do outro, não pensaram nem um minuto em desistir?  Apesar das desavenças esse casal lutou até conseguir, mas passou por momentos difíceis antes de chegar ao início do "felizes para sempre". Com uma narrativa carregada de trechos de "disputas" dos personagens para ver quem iria ceder primeiro, a autora consegue mais uma vez nos cativar com uma história cheia de reviravoltas e acontecimentos inesperados, e que nos mostra que não podemos fugir do amor que sentimos. 

Win não tinha medo de viver o que sentia com Kev e apesar de todos os rechaços ela sempre acreditou que valia a pena lutar por ele, mas como qualquer ser humano, uma hora a gente cansa de tanto "não" e decide seguir em frente. Kev havia sofrido muito e dentro de si acreditava só ter coisas ruins, além de não merecer o amor de Win e nem ser o suficiente para ela. Então nunca quis ceder com medo de prejudicá-la ou machucá-la. Cheio de conflitos internos, Kev luta para resistir ao amor que sente, até que finalmente aceita que não queria viver sem Win.

Lisa Kleypas nos encanta com um amor que era carinho, evoluiu para amizade e finalmente se transformou em paixão. Quem nunca sonhou com isso? Um sentimento que ultrapassa todas as barreiras e ainda correspondido? Deve ser o paraíso. Outra coisa que me encanta é essa família, que me faz lembrar da minha e agradecer a Deus por eles. São todos doidos e estranhos, mas estão sempre ali por mim. Amei essa história, apesar de ser a quarta na minha lista dos Hathaways. Não me entendam mal, a narrativa é linda, engraçada, emocionante. Mas não consegui me identificar com os personagens, e isso não tem nada a ver com a autora, mas sim com a minha personalidade e a deles. Então por favor, não deixem de ler só porque eu não me vi neles. 

Quanto a editora, o que mais posso dizer? Sou fã da Arqueiro, com sua revisão impecável e tradução fiel. A capa eu gostei, mas não me apaixonei por ela assim como foi com as outras da série. Espero que amem esse livro e se preparem porque o próximo dos Hathaways é o meu preferido!! 
" - Não sei o que fazer agora -  disse Win com voz lânguida.

  - Fique deitada. Só isso. Eu cuido do resto.

  Ela riu.

  - Não, estou falando sobre o que as pessoas fazem quando finalmente chegam ao seu final feliz.

  - Elas o prolongam.

  - Acredita em felizes para sempre? - insistiu ela

  - Como nas histórias infantis? Não.

  - Não acredita?

  Ele balançou a cabeça.
  - Acredito no amor entre duas pessoas. - Um sorriso distendeu seus lábios. - Em encontrar prazer nos momentos comuns. Caminhar juntos. Discutir sobre coisas como o tempo de um ovo cozido, ou como gerenciar criados, ou o valor da conta do açougue. Ir para a cama todas as noites e acordar juntos todas as manhãs. - Erguendo a cabeça, ele tocou o rosto dela com uma das mãos.- Sempre comecei o dia indo até a janela para olhar o céu. Mas agora não tem mais que ser assim.
  - Por que não? - perguntou ela com doçura.
  - Porque verei o azul dos seus olhos."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.