Resenhas

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

[RESENHA] "PODE BEIJAR A NOIVA", DE PATRICIA CABOT

Nome: Pode Beijar a Noiva
Autora: Patricia Cabot
Editora: Essência
Onde Comprar:Buscapé
Emma Van Court, dama de uma família londrina, jamais esperava ficar viúva e sem vintém na aldeia escocesa de Faires. E quando uma fortuna lhe foi prometida, se ela tornasse a se casar, a bela professora deparou-se com um mosaico de homens solteiros lutando por suas atenções, desde o pastor local até um detestável barão.

James Marbury, conde de Denham, era moderno, sofisticado e totalmente desacostumado às estradas lamacentas e aos telhados de palha de Faires, para onde viera depois de saber do falecimento de seu primo Stuart. E sem demora ficou exasperado ao descobrir que seu amor louco e intenso pela viúva continuava tão forte quanto antes. Diante de tantos homens solteiros que a cortejavam, James encontrou uma única solução - oferecer-se como marido temporário para Emma, mesmo que secretamente ele desejasse fazer seus votos durarem para sempre.
 
Emma Chesterton estava vivendo momentos complicados. Viúva, no meio de um vilarejo no interior da Escócia, sem dinheiro ou família, tudo que ela pensava era que o sapato pregado na Árvore Dos Desejos, antiga tradição que prometia sorte, realmente não estava a ajudando. Nos últimos doze meses as coisas não estavam indo bem para ela, e ao encontrar com James Marbury, primo de Stuart seu falecido marido, na porta de sua casa só significava que tudo iria piorar. O nono conde de Denham havia arruinado tudo para Emma quando espalhou para toda a família que ela e Stuart se casariam escondidos e fugiriam para Faires, e desde aquele dia ela passara a odiá-lo, desejando nunca mais encontrar-se com ele. 

James Marbury estava chocado com o que encontrou em Faires. Ao saber o que havia acontecido com seu primo, foi diretamente encontrar-se com Emma, sua viúva. Surpreso por ela ainda não ter retornado a Inglaterra, onde sua família morava, ele esperava resgatar lá apenas os restos mortais do primo. Abalado por encontrar Emma, que era seu antigo amor secreto, James decide mudar sua missão original para outra bem mais importante e na qual não iria falhar: levar Emma junto com ele para Londres. 

E a oportunidade perfeita para isso surge quando ele descobre sobre o famoso Testamento de O'Malley. Diziam os boatos que um homem, no caso Stuart, fora morto por O'Malley por acidente. Ao ser condenado a forca por isso, antes de morrer, ele pediu que fosse redigido seu testamento, onde ele deixava tudo que possuía para a viúva do morto, porém com uma condição estabelecida pelo juiz: a de ela se casar de novo. James decide aproveitar essa chance de ouro e fazer Emma se casar com ele, algo que ele sempre desejara, mas que não tinha pretensão de acontecer até agora. 

Determinado, ele decide mostrar o novo James, e quem sabe fazê-la se apaixonar? Já Emma só conseguia pensar em como James era diferente de Stuart, em todos os aspectos, e que sua natureza carnal assumia o controle quando se encontrava com ele. Ela casa sob a promessa de que precisa do dinheiro para ajudar as pessoas em Faires e que assim que ela recebesse tudo o casamento seria anulado. Porém, Emma percebe que talvez aquela era a hora em que as coisas finalmente iriam melhorar para ela, e se pega questionando qual eram seus verdadeiros sentimentos por James.
" - Denham? - o juiz berrou.- Vai ficar aí parado? Não vai beijar a noiva? 

  James, espantado, virou-se para Emma que recuara diante da pergunta do juiz.

  - Isso não é necessário. - Ela salientou.

 A sra. MacTravish, snetindo-se lesada por seu filho não ter se casado com a viúva do cura, não permitiria ser novamente lesada, caso não presenciasse o primeiro beijo dos noivos, sem saber que seria provavelmente o primeiro e o único.
 Pensando nisso, pôs as duas mãos nos ombros de Emma e empurrou-a na direção de James.
 - Oh, não recue - a mulher disse com determinação. - É preciso selar o acordo. "
Este acredito que foi o primeiro livro que li de Patricia/Meg Cabot, e preciso dizer que amei seu trabalho. Pensei que seria algo meloso e extremamente piegas, porém me deparei com uma comédia romântica, onde nada é perfeito mas sim bem confuso, com muita ironia e um leve romance para adoçar tudo. Emma e James são o típico casal que sentem algo diferente, no caso amor, que muitas vezes não é percebido ou é confundido, sendo assim ignorado ou deixado de lado. James viu que, se quisesse Emma teria que lutar, e resolveu não desistir de sua chance de ser feliz. Amei porque, não sei vocês mas, quando as coisas ficam difíceis eu tenho a tendência a desistir, e a não confiar no amor que sinto nem em mim mesma. E assim acabo perdendo coisas maravilhosas.

Outra coisa que entendi é que uma história de amor não precisa ser perfeita, com o príncipe no cavalo branco e só felizes para sempre. Alguém me disse uma vez que "uma reta é o caminho que liga dois pontos, mas que na curva encontramos o concreto buscando o infinito". Escolhi parar de exigir perfeição de tudo e ver a beleza na bagunça. É um dos meu Top 10 por ser uma história simples , porém mágica e única, que tocou meu coração e me deu esperança para acreditar no amor e ser menos pessimista (uma frase cafona, mas a que resumia o que senti). James tinha tudo para não acreditar e mesmo assim resolveu tentar. Espero que você também escolha tentar (ler o livro e acreditar no amor hahaha).

Capa e editora sensacionais, não encontrei nada negativo. Adorei a disposição dos capítulos, parecem uma carta. A capa é impessoal, por isso achei perfeita, pois outra coisa fugiria das características da história. Se você gostou da história acompanhe a tag " Top 10 da Isa", porque vem muita coisa boa por aí.
" Você ainda pensa em uma anulação? As palavras ecoavam em sua cabeça. Por que James perguntara? Não seria pelo que haviam feito, mas por seus sentimentos?

  Emma estava sentada junto à penteadeira pensando no assunto, enquanto a criada da viúva lutava com seus cabelos. Nisso a porta foi aberta e James entrou.

  Ele usava um traje de noite preto como azeviche. Seus cabelos ainda estavam úmidos do banho. Sua aparência era bela e arrasadora.

  Foi quando Emma entendeu, com um pequeno gemido interno, o que não poderia negar mais.
  Ela o amava.
  James caçoara dela e a atormentava. Deixara-a frustrada e contrariada, às vezes até enraivecida. Mas sempre estivera a seu lado. Nunca houvera ocasião - exceto quando ela contara que pretendia casar-se com outro- em que ele não fizesse tudo para vê-la feliz."

2 comentários:

  1. Gostei da resenha deste livro e historia espero ter futuramente adquiri-lo muito bom

    ResponderExcluir

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.