Resenhas

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

[RESENHA] "MAR DE ROSAS", DE NORA ROBERTS

Nome: Mar De Rosas
Autora: Nora Roberts
Série: Quarteto de Noivas #02
Editora: Arqueiro
Onde Comprar:Buscapé
Dona de uma beleza estonteante e de um jeito doce e sempre agradável, Emma atrai muitos homens e tem uma incrível habilidade com eles – principalmente na hora de dispensá-los. Mesmo com tantos pretendentes, ela ainda não encontrou o príncipe encantado com quem sonha desde menina. Talvez porque ainda não tenha procurado no lugar certo: bem debaixo do seu nariz.

Jack Cooke é um arquiteto atraente, bem-sucedido e melhor amigo do irmão de Parker, uma das sócias e amigas de infância de Emma. Muito próximo das fundadoras da Votos, ele é praticamente da família. Quando percebe que seus sentimentos por Emma vão além de uma simples amizade, Jack fica muito confuso. Agora, para essa história dar certo, eles terão que encontrar o ponto de equilíbrio entre o solteiro avesso a compromissos e a mocinha romântica que sonha em se casar e ser feliz para sempre.


Resenhas | Série “Quarteto de Noivas”


   


A vida de Emmaline Grant é do jeito que ela havia sonhado quando criança. Sendo uma romântica incurável, viver pertinho de suas melhores amigas e trabalhar na realização de casamentos era o paraíso para ela. Mesmo com o tempo curto para descansar e lazer, seu trabalho como florista na empresa Votos, que ela, Parker, Laurel e Mac criaram, era seu maior prazer e satisfação pessoal. Apesar de solteira, seu sonho de casar era o primeiro na lista, porém para ela era importantíssimo uma relação especial com um homem que a amasse. Como ainda não o tinha encontrado, ela curtia sua independência sem se amarrar, esperando o tão desejado momento do verdadeiro amor mudar sua vida. Emma era alegre, viva e especial, sempre buscando encher a vida das pessoas de romance, como a primavera. Apesar de Jack Cooke ser como parte da família criada pelo quarteto, que consistia nas quatro amigas, mais Del, irmão de Parker, e Jack, amigo de Del, Emma não podia evitar em sentir o coração bater mais rápido quando se encontravam. 

Jack era praticamente família, então guardava para si a atração e admiração que sentia por Emma. Sendo como irmã de Del, seu melhor amigo desde a faculdade, ele sabia que não poderia se aproximar dela. Emma também era ciente de que os dois não podiam ficar juntos, já que era um hábito seu romantizar tudo, e com Jack  sabia que não encontraria seu "felizes para sempre". Porém, as coisas perdem o rumo quando Jack não consegue se conter e beija Emma. É aí que os dois percebem que não poderiam mais evitar a atração que sentiam um pelo outro, e decidem dar uma chance. Entretanto, duas coisas precisavam ser resolvidas, e eles simplesmente não sabiam como: Jack precisava contar para Del, mas tinha medo de sua reação e de perder seu melhor amigo e ao mesmo tempo decidir o que sentia por Emma, além da atração; e Emma tinha que decidir se daria uma chance a Jack de ser seu verdadeiro amor e se ele realizaria seu sonho de um cassamento como o de seus pais.
" - Céus! Você agora vai me dar uma bronca? Quero dizer, já está dando. Beijei você. Confesso. Você tem essa boca, e eu a queria, o que estava muito claro para mim. - Os olhos dele reluziram, como nuvens carregadas de raios e trovões. - Como você não gritou por socorro, eu a beijei, pode me enforcar por isso.
  - Mas o problema não é o beijo. É, mas não é. O problema é o motivo, depois e o quê.

  - O quê? - exclamou ele, arregalando os olhos.

  - Isso mesmo. Mereço algum tipo de resposta razoável.

  - Onde.. você esqueceu onde, por isso vou incluir um. Onde está a pergunta razoável? Encontre essa pergunta e vou fazer o possível para encontrar uma resposta razoável. É isso.

  Emma estava fervendo de raiva. Ele não sabia que uma mulher podia ferver de verdade. Nossa, como aquilo era sexy.

  - Se você não pode falar disso como um adulto, então...

 - Quer saber de uma coisa? Dane-se.

 Se ia se ferrar por ter feito aquilo uma vez, poderia perfeitamente se ferrar por fazer duas vezes. Ele a agarrou, erguendo-a do chão. O som que ela fez bem poderia ser o começo de um "motivo", mas, antes que ela pudesse pronunciar as palavras, ele a beijou."
Essa é a história com a protagonista mais fofa que já li. Sério, não há nada em Emma que o leitor não goste. Ela é carinhosa, alegre, bondosa e uma boa amiga. E como toda garota normal, sonha com seu final feliz. Jack é um cara que sofreu com a separação dos pais e por isso não acredita em relacionamentos duradouros, e sabe que Emma merece isso. Achei linda a história deles, que é literalmente o sonho virando realidade. Não vou contar mais sobre a história porque senão vai perder a graça ao ler. Quanto a editora posso apenas reforçar a tradução fiel e capa linda, tudo a ver com Emma e sua personalidade. 

Do "Quarteto de Noivas", a história da Emma não é a minha favorita, mas tocou muito meu coração. Há muito tempo atrás, um antigo eu sonhava com o que ela encontrou: uma grande amizade se transformando em verdadeiro amor. E ver Emma e Jack se renderem ao amor me fez voltar no tempo e lembrar de quando eu acreditava que iria acontecer comigo o mesmo. Por mais que os dois não admitissem, eles se amavam fazia tempo, só não perceberam que era um "amor maior". Ao ver que os eles deram certo, me questionei se valia a pena continuar sonhando com a mesma pessoa, mesmo ela não me amando, entre outras coisas. 

O engraçado foi que parece que a Nora adivinhou todas essas perguntas que eu fazia ao meu coração e respondeu todas elas no próximo livro, através da Laurel. Então, se você quer saber as respostas que ela me deu, acompanhe o blog pois em breve estará disponível a resenha de "Bem Casados"!
"Aquilo era tudo o que ela queria, tudo com que sempre sonhou. A doçura e a paixão. E se entregava cada vez mais, sentindo-se inteiramente embriagada pelo amor.
 Aquela pele tão quente roçando a sua provocava nela uma sensação de alegria tranquila que contrastava com a pulsação cada vez mais acelerada. Jack encostou os lábios em seu peito, na altura do coração que batia por causa dele.
 Será que ele sabia que era por isso? Podia sentir?
 Quando ele a abraçou, lentamente, seu nome, apenas o seu nome, inundou o coração de Emma."

Nenhum comentário:

Postar um comentário