Resenhas

terça-feira, 13 de outubro de 2015

[RESENHA] "BEM CASADOS", DE NORA ROBERTS

Nome: Bem-Casados
Autora: Nora Roberts
Série: Quarteto de Noivas #03
Editora: Arqueiro
Onde ComprarBuscapé
A chef confeiteira Laurel McBane precisou batalhar muito para realizar sua maior aspiração profissional — ser uma doceira premiada. Agora seus bolos de casamento são a própria perfeição, obras de arte surpreendentes que complementam as belas fotografias de Mac e os arranjos de flores de Emma.Após ter conseguido superar um histórico familiar complicado, ela tem o cuidado de não deixar que nada fique no caminho de seu trabalho. Por isso se irrita tanto quan do Del, o irmão de Parker, tenta opinar em seus assuntos.

Como cultiva um amor secreto por ele há muito tempo, Laurel acha ainda mais difícil aceitar que Del a trate apenas como uma amiga.Mas certa noite uma discussão acalorada e um beijo ardente mudam tudo. Laurel constata que a realidade é ainda melhor que seus sonhos e Del percebe a mulher incrível que sua visão de irmão mais velho não o deixava enxergar.

Quando a amizade se transforma em algo mais, os dois precisam ter muito cuidado para não estragar o que tinham antes e, ao mesmo tempo, aproveitar a oportunidade que lhes foi dada: ser os protagonistas de uma grande história de amor.


Resenhas | Série “Quarteto de Noivas”


   


Laurel podia dizer que se considerava uma pessoa feliz. Apesar de tudo que já havia vivido, hoje era dona do próprio negócio, tinha uma família que não era de sangue mas que estava sempre com ela, era independente e uma mulher forte. Claro que a única parte que ainda não havia mudado para ela era o estado civil, e aparentemente isso iria demorar para acontecer. O que ninguém sabia era que para Laurel, havia apenas uma pessoa com quem ela desejava há anos se envolver e amar: Delaney Brown, advogado da Votos e irmão de Parker. Desde criança Laurel é amiga de Del, e ano após ano essa amizade cresceu, até que se tornaram uma família. Porém ela sabia que ele só a via como um ser assexuado, de quem deveria cuidar e proteger. Como isso era justamente o que Laurel não queria de Del, que ela fosse mais uma "irmã" para ele, os dois viviam em constantes debates acalorados e discussões divertidas.

Até que um dia Laurel se cansa e decide tomar uma posição, mostrando para ele que não era sua responsabilidade. E qual melhor jeito de expor seu ponto de vista a não ser beijá-lo? Del ficou completamente surpreso ao perceber que Laurel era muito mais que uma das meninas do seu querido Quarteto. Agora, a enxergando por uma nova ótica, ele decide explorar aquele novo caminho que surgiu para os dois e ver até onde isso iria dar, sem estragar a amizade, nem dividir a família que construíram. Laurel acreditava que qualquer coisa entre eles já estava destinada ao fracasso por inúmeros motivos, mas decide "saborear o momento", apesar de sonhar com seu "felizes para sempre". Já Del tenta entender como essa mulher complicada, mas cheia de atrativos, conseguiu se esconder por tanto tempo e, ao ver o clima de "casamentos em série" na Mansão Brown ele reflete se Laurel é a mulher de sua vida.
" Ela foi até a geladeira e a abriu para pegar uma garrafa d'água. Era provável que existisse alguém que a irritasse mais que Delaney Brown, mas naquele momento ele encabeçava a lista. Ela abriu a tampa da garrafa com um giro raivoso do pulso enquanto se virava e se chocou contra ele.
   - Pare com isso.

  Ela teria chamado aquilo de pânico, mas seu temperamento seguiu um rumo diferente.

  - Você abriu a porta. A real e a metafórica. - Del apontou para a geladeira aberta. - Aposto que agora também está irritada.

 - Sim, agora estou irritada.

 - Bom, já que estamos na mesma sintonia e eu sei como isso funciona..

 Ele a agarrou pelos braços e a puxou para cima até que Laurel ficasse na ponta dos pés.

 - Nem pense em..

 Foi tudo o que ela conseguiu dizer antes de seu cérebro parar de funcionar. O calor, o encontro de bocas, contrastava com o ar frio em suas costas. Ela se sentiu presa entre o gelo e o fogo, incapaz de se mover em qualquer uma das direções enquanto ele a mantinha equilibrada naquela fina e frágil fronteira."
Esse é o meu terceiro livro favorito de todos que já li. Sabem uma pessoa igual a Laurel? Sou eu. Dividimos a mesma paixão pela confeitaria, porém vou me graduar primeiro em Direito, como o Del. Dizem que sou seca e grossa ás vezes, e que não deixo as pessoas verem meus reais sentimentos. E como Laurel, guardei um amor durante muito tempo em meu coração. Claro que não fui discreta como ela, quem olhasse para mim sabia quem era o meu "Del". Porém, eu nunca tive a coragem de expor meus sentimentos. E tinha muitas perguntas na minha cabeça, que foram respondidas através da Laurel. Não vou contar mais sobre a história porque ela é mágica, e você deve ler e apreciar por si só.

Quando li esse livro, a principal pergunta em meu coração era a afirmação que se encontra na capa: "Um grande amor vale anos de espera"? Nora me disse que sim. Vale muito a pena. Depois de anos tentando seguir em frente, cheguei a conclusão de que não tenho ideia do que o futuro me aguarda, mas que se uma nova chance surgir para mim, eu vou agarrá-la. Algo me diz que jamais encontrarei alguém como aquele que tem meu coração, e por mais que ele me veja como uma amiga, a oportunidade de estar ao lado dele novamente é meu desejo de sonho todas as noites. E não é desperdício de sentimento amar a mesma pessoa sem nem hipótese de ser retribuída. Se ele vale a pena, então eu me arrisco.

Espero um dia te dizer se valeu a pena ou não para mim. Enquanto a resposta não vem, vou fazer como Laurel e saborear cada momento que a vida me der. Amei tudo sobre esse livro e história, editora e autora fizeram um trabalho sensacional, apesar de eu preferir o título original, que seria "Apreciar o Momento". Achei bem mais a cara da história e dos personagens do que "Bem Casados". Espero que se emocione tanto quanto eu, e se você tem um grande amor, que ele valha a pena toda a espera. A última do Quarteto de Noivas é Parker, e é a história mais diferente das outras. Se quer descobrir mais, fique ligado que em breve a resenha estará disponível.
" - Droga, Parker, isso é golpe baixo.
  - Não, não é, só estou sendo sincera. Quer que eu saia?

  - Ora, pare com isso. - Fechando a cara, Laurel bebeu mais champanhe. - Você sempre joga sujo nas discussões. Está bem, está bem. Sim, estou apaixonada por ele. Sempre fui, então talvez, na verdade, eu esteja pensando no futuro. Passei grande parte da vida tentando esquecê-lo e não consegui. Por isso, se algum dia chegarmos ao ponto de falar sobre o resto das nossas vidas, é claro que vou me jogar de cabeça, ou o clichê que preferirem. Mas o fato é que são necessárias duas pessoas para chegar a esse estágio.

 - Por que você acha que ele não a ama? - perguntou Emma.

 - Eu sei que ele me ama. Ama todas nós. É diferente comigo agora, mas não é..- Por Deus, admitir isso era degradante até mesmo perante suas amigas mais íntimas. - É difícil amar alguém mais do que a pessoa ama você, e isso é algo com que preciso lidar. Meus sentimentos, minha responsabilidade."

2 comentários:

  1. Não se esqueça desse cara que você gosta, mais uma resenha incrível!!!

    ResponderExcluir
  2. Resenha maravilhosa! O amor tudo suporta, quem sabe você não encontra ele novamente acompanhando dos amigos num sábado a noite?! Torço por você! O importante é como termina.

    ResponderExcluir