Resenhas

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

[RESENHA] "A TRILHA", A.V. SEIXAS

Nome: A Trilha 
Autora: A.V. Seixas
Série: Saga Linear #01
Editora: lançamento independente
Onde Comprar: Amazon
Depois de passar os últimos anos viajando pelo mundo, Alexis Vienna e sua mãe Christine se estabelecem em Londres. Christine é um antropóloga britânica, já separada há algum tempo do pai de Alexis, o arquiteto brasileiro Daniel Vienna. Alexis passou boa parte de sua vida rodeada por adultos e finalmente ganha amigos de sua idade na capital inglesa: Jonathan e Vicki. A dupla, apaixonada por cinema, acaba se envolvendo na dura missão de trazer Alexis para seu lado e a mergulhar no mundo da sétima arte.

Após uma noite de muita pipoca e discussão sobre mais um novo filme, Alexis se vê no lugar mais improvável possível: A Floresta Amazônica. Não é a primeira vez que ela encara a mata quente e hostil no coração do Brasil, mas isso não diminui em nada seu desespero.

Em busca de uma saída e de respostas, a jovem encontra a tribo Maracati, um grupo de nativos amigáveis que a ajuda a encontrar uma saída. Alexis descobre que perdeu os últimos seis meses de sua memória e que seu desaparecimento na floresta é apenas um pequeno detalhe num mistério muito maior que envolve a morte de um grupo de pesquisadores e cientistas, além do desaparecimento de sua mãe e de seu futuro padrasto, o arqueólogo francês Jean-Pierre Girard.

Com apenas poucas lembranças confusas e pesadelos assombrosos, sem nenhuma certeza do que realmente aconteceu, Alexis terá que desvendar o mistério sobre sua nova estada no Brasil, em meio a uma realidade nova e estranha. Retornando ao colégio onde estudou até os noves anos de idade, ela reencontrará parte de seu passado mal resolvido e alguns novos obstáculos. E em sua nova casa, ela voltará a morar com seu quase desconhecido pai, cercada por seguranças e carros blindados, já que ela é herdeira de uma das maiores construtoras do Brasil, a Forte Vienna.

A vida de Alexis Vienna parecia um filme. Pelo menos era o que diziam seus amigos inseparáveis Vicki e Jonathan. Ela realmente começa a acreditar nisso ao acordar no meio da Floresta Amazônica sem ter a mínima ideia de como foi parar lá. Sem memória dos últimos seis meses de sua vida, ela se encontra presa a lembranças antigas, de quando morava em Londres com sua mãe Christine. Usando seus conhecimentos sobre a Floresta, ela se recorda do que aprendeu com a equipe de arqueólogos de sua mãe e encontra uma tribo nativa da Floresta e quem a recebe é  Jacira, uma mulher que conheceu quando esteve com sua mãe na tribo Maracati há sete anos atras. 

Com sua ajuda, Alexis consegue entrar em contato com seu pai Daniel, aquele com quem se encontrava apenas em datas comemorativas, como Natal e Ano Novo. Completamente perdida, sem ideia de onde sua mãe está e do que realmente aconteceu com ela durante os sete dias em que ficou desaparecida, a protagonista encontra mil perguntas e nenhuma resposta, porém uma certeza: a resposta estava em sua mente, ela só precisava se lembrar.

Ao ir morar com o pai, com quem não tinha intimidade, Alexis só pensa em ter sua vida de volta e encontrar sua mãe. Aos poucos suas lembranças voltam em forma de sonhos, porém a incerteza do que sonhava cominado com o perigo da situação a deixam sem opções a não ser tentar seguir a vida e aceitar que sua mãe estava morta. Vivendo cercada de seguranças e carros blindados devido a fama de sua família e ao Incidente na floresta, ela perde toda a vontade de viver. Daniel contudo a obriga a ir à escola e sair um pouco de casa, respeitando os limites de segurança por ele estabelecidos. Na escola, Alexis mal chega e se envolve em uma briga, e ao que lhe parecia suas chances de socialização que já eram baixas se tornam nulas. Porém, ao cumprir sua punição pela briga ela acaba reencontrando seu antigo amigo Davi, uma das poucas pessoas com quem se identificou e que perdeu contato ao se mudar para Londres com a mãe.

Apesar de certa estabilidade após todo o caos que viveu, Alexis só pensava em pegar o espólio da mãe e fugir de casa, mas acaba não conseguindo. Sem saber o que fazer e qual plano traçar para si, a protagonista se surpreende ao receber um email que prometia a resposta para sua principal pergunta: onde estava sua mãe? 
"Hoje completa duas semanas desde que recebi a foto da minha mãe grávida. Na última aula antes do intervalo, estava no computador da escola fazendo uma pesquisa para um trabalho de geografia, quando recebi uma nova mensagem do Facilitador em meu email.Ele dizia que eu teria que me decidir logo, pois uma operação para o nascimento do bebê estava marcada para daqui a cinco dias. Não tenho mais tempo para pensar, preciso logo me decidir."
Preciso dizer que essa obra me surpreendeu, e muito. Já li algumas histórias que buscam mesclar mistério com aventura e a maioria não deu certo para mim. Tudo começa mil maravilhas e no final fico revoltada perante a falta de respostas e acontecimentos desnecessários. Alexis é apenas uma menina de 16 anos aparentemente comum, mas que me deixou admirada por maturidade e conhecimento. Não vou contar muito sobre a história, pois a sinopse expõe bem claramente a ideia central do livro, mas já te adianto que você irá se fascinar. 

No início, fiquei duvidosa por já ter me decepcionado tanto com esse gênero literário, mas me encantei muito com o enredo. A história me prendeu e só consegui pensar novamente quando terminei a leitura. E particularmente amo livros assim, que conseguem chamar minha atenção e mantê-la ao longo da narrativa, sem necessitar apelar para eventos que desviam a atenção e deixam tudo mais confuso. Me apaixonei por Davi, Daniel, Nathan e tantos outros personagens expostos pela narradora Alexis, bem como pela obra em si, por conter uma história única e muito promissora.

Há muito tempo não me vejo admirada com um livro de mistério brasileiro, e espero que a autora continue o brilhante trabalho com as continuações, que se não seguirem o ritmo da primeira, que sejam então melhores. Preciso ser honesta e dizer que apesar de ter amado, houve alguns pontos que não me agradaram na história, mas isso sempre irá acontecer não é mesmo? Nada na vida é perfeito. Mas para mim, algo que beira a perfeição é uma história original, com um gênero literário principal que consegue englobar vários outros. Prepare-se para se apaixonar junto com os protagonistas, se surpreender com os acontecimentos, rir muito da vergonha alheia e se desesperar pelo próximo volume da série. 
"Alguém me puxa, prende meus punhos em minhas costas e me levanta. Ele está vermelho, os olhos esbugalhados vidrados em mim. Eu vou sendo afastada, arrastada para fora da sala. Então algo passa rolando pelo chão ao meu lado. Algo soltando uma fumaça branca. Meus punhos são soltos e eu fico livre. Corro pelo corredor em minha frente e subo os degraus que encontro. Eu tento abrir uma porta, mas ela está trancada, eu bato nela várias vezes... Sinto meus membros relaxarem novamente, o calor deixando meu corpo. Respiro fundo e minha visão escurece, como se as luzes fossem lentamente sendo apagadas."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.