Resenhas

terça-feira, 7 de abril de 2015

[RESENHA] "FINGINDO", DE CORA CARMACK

Nome: Fingindo
Autora: Cora Carmack
Série: Losing It (#02)
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Buscapé

Livro enviado como cortesia pela Novo Conceito
Por quanto tempo você consegue prender alguém?

Meu nome é Cade Winston. Aluno de mestrado em belas-artes, voluntário, abraçador de mães e seu namorado pelas próximas vinte e quatro horas. Prazer em conhecê-la.

Com seus cabelos coloridos, tatuagens e um namorado que combina com tudo isso, Max tem exatamente o estilo que seus pais mais desprezam... E eles nem sonham que a filha vive assim.
Ela fica em apuros quando seus pais a visitam na faculdade e exigem conhecer o futuro genro. A solução que Max encontra para não ser desmascarada é pedir para um desconhecido se passar por seu namorado.

Para Cade, a proposta veio em boa hora: é a chance que ele esperava para acabar com a sua fama de bom moço, que até hoje só serviu para atrapalhar sua vida.
Um faz de conta com data marcada para terminar... E um casal por quem a gente vai adorar torcer. Fingindo vai seduzir você.


Resenhas | Série “Losing It”


 


Cade é um ator recém-formado que não tem conseguido bons papéis em seu trabalho. Uma notícia ruim para um rapaz que tem que arcar sozinho com as despesas do apartamento e da universidade, onde ele agora faz mestrado. Como se isso não fosse desanimador o suficiente, ele também é apaixonado por sua melhor amiga, Bliss, cujo coração já pertence à outra pessoa.

Mackenzie – Max  Miller é uma garota que vive para a música, o que não é apoiado por seus rigorosos pais, que a ajudam com seu sustento. Cantar e alcançar o sucesso com sua banda é o seu maior sonho, porém o caminho não é fácil e enquanto isso ela tem que se dividir entre os ensaios musicais e outro trabalho, que garante algum dinheiro a mais no fim do mês.

Morando longe de sua família, Max pode ser ela mesma, alguém que gosta de se expressar através de suas tatuagens, piercings e cabelos coloridos. No entanto, seus pais esperam que a filha não seja menos que perfeita e é justamente por isso que ela esconde deles sua real aparência, pois sabe que eles enlouqueceriam com a imagem da garota rebelde.
“Hoje em dia era mais fácil simplesmente agradá-los [...] E não é que eu não os amasse... Eu os amava. Só não amava a pessoa que eles queriam que eu fosse”
Quando eles aparecem de surpresa em sua cidade para encontrá-la e conhecer seu namorado, Max vê-se obrigada a traçar um plano de emergência para não apresentar Mace, seu companheiro cheio de tatuagens e dono de uma atitude que jamais seria aceitável para os Miller. E é assim que Cade entra na jogada.

Em um momento de desespero – tendo apenas alguns minutos para resolver seu problema -, Max pede a Cade, um completo desconhecido, que finja ser seu namorado. Ele não tem nada a perder e, de certa forma, isso seria como um novo trabalho. Ele teria que fingir ser o namorado perfeito de Max.

A atuação de Cade é um sucesso, tanto é que o que era para durar por alguns minutos se estende por mais alguns dias. Obrigados a passarem algum tempo juntos, Max e Cade passam a se conhecer melhor e aí realidade e fingimento se misturam. O que em seu relacionamento é verdadeiro e o que é atuação?
“– Meu nome é Cade Winston. Aluno de mestrado em belas-artes, voluntário, abraçador de mães e seu namorado pelas próximas vinte e quatro horas. Prazer em conhecê-la.”
Novos sentimentos começam a surgir e lidar com eles pode ser mais difícil do que fingir estarem juntos perante os pais de Max. Ambos protagonistas têm seus próprios conflitos, fantasmas do passado que os impedem de se jogar em relacionamento amoroso logo de cara – sem mencionar que Max é comprometida.

No entanto, o casal tem um envolvimento cujo desenrolar é gostoso de acompanhar. A química é forte e eles se ajudam, pois conseguem fazer um ao outro falar sobre seus problemas. Principalmente Max, que costuma guardar para si suas mágoas, mascarando tudo com a imagem de uma garota durona e segura de si.
“Ele havia me arruinado. Antes eu era como gelo – fria, cortante e sólida. Mas durante semanas, ele me derreteu, e eu odiava isso.”
“Fingindo” veio para mim em uma boa hora. Depois de duas leituras, uma na qual me acabei em lágrimas e outra em que tive uma boa dose de guerras, tudo o que eu precisava era de um bom romance, com personagens bem construídos e uma história com um bom ritmo e “real”. Afinal, deve haver muitas pessoas por aí que fingem ser quem não é – seja para agradar a alguém ou não -, que escondem seus sentimentos, deixam-se afetar pelos problemas do passado, que carregam as bagagens da vida nas costas ao invés de simplesmente se libertar ou então que vivem na miséria por um amor não correspondido.
“Viver é difícil. E todos os dias os nossos ombros pesam mais e nós acumulamos mais bagagem. Assim, paramos e respiramos fundo, fechamos os olhos, apagamos a mente. É natural. Desde que você abra os olhos e siga em frente.”
A capa é simples, mas bonita. Cade por cima, olhando para Max deitada na cama. A primeira impressão é de que é uma história picante, mas se você é do tipo que não curte esse tipo de história, não se engane, não é nenhum cinquenta tons de cinza. O livro possui sim seus momentos quentes, mas tudo é colocado de forma bem leve.

A Editora Novo Conceito fez um ótimo trabalho com o livro. A fonte e o tamanho das letras são perfeitos, e a diagramação e revisão estão ótimas. “Fingindo” é uma história de amor e superação, com personagens de personalidades diferentes e que, talvez por isso, se completem. Eu recomendo!
“[...] É uma apresentação, uma máscara, escolha. Eu projeto coragem e você projeta perfeição. Isso não significa que nós realmente sejamos essas coisas.”



2 comentários:

  1. Oi Nati,
    Ah eu confesso que adoro livros nesse estilo.
    Sempre uma boa pedida pra distrair e se divertir, mas acabei deixando pra minha prima resenha...agora me sinto meio arrependida haha

    bjs e tenha uma linda terça!
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oláa Nana. Ahh, mas você sempre pode pedir emprestado e conferir por você mesma. XD A leitura foi ótima. Uma boa história, realmente. Espero que você também goste caso leia. Xx

      Excluir

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.