Resenhas

domingo, 15 de março de 2015

[RESENHA] "RÉQUIEM", DE ALEXANDRE ROFER

Nome: Réquiem
Autor: Alexandre Rofer
Editora: Publicação Independente
Onde encontrar: Wattpad
Um sádico serial killer é capturado pela polícia e entregue aos cuidados de uma talentosa, porém inexperiente psiquiatra forense, após ser declarado insano pelo tribunal. A jovem Clara Nogueira, no entanto, logo percebe que não está lidando com apenas mais um psicopata assassino. Em suas primeiras entrevistas com o novo recluso do manicômio prisional, a médica se dá conta de que pode haver ainda uma última vítima, não descoberta pelos investigadores e provavelmente morta já há algum tempo, desovada e apodrecendo em alguma fossa da opulenta metrópole.

Sensibilizada, ela decide ouvir a história do desconhecido doentio, utilizando de sua expertise para tentar retirar dele alguma informação e dar um nome e um fim digno a essa possível vítima.

Assim, somos convidados a visitar o passado desse misterioso homem e conhecer a sua história de horror, aventura e fantasia. Uma história de um homem desolado que recebe a chance de recuperar um amor perdido através de uma enigmática melodia composta por um artista feiticeiro. E, em sua tentativa de vencer a morte para reencontrar a amada, desenterra mistérios que nenhum homem deveria conhecer.

Atraída pelo inevitável apelo desta história, Clara acaba sendo forçada a enfrentar seus próprios pesadelos. E, talvez, estes também não devessem vir à tona.

Seria a loucura algo tão contagioso quanto o interesse pela história daquele homem? Ou será que há alguma lógica por trás de todas as atitudes aparentemente sem sentido do recluso? Quais seriam suas intenções? Embarque nessa jornada e descubra. Mas cuidado: se a realidade pode ser desafiada por algumas notas musicais, talvez o mesmo aconteça com a sanidade. 


Em "Réquiem" conhecemos Clara Nogueira, uma psiquiatra muito bem sucedida que trabalha em um manicômio prisional. É lá que ela conhece Lázaro, seu mais novo paciente e um perigoso serial killer, que de alguma maneira parece conhecer muito bem a vida pessoal da doutora - inclusive seu segredo mais vergonhoso.

O jeito misterioso de Lázaro intriga Clara que, a fim de entender melhor a mente do serial killer e de obter a revelação do local onde está o corpo de uma vítima que ainda não foi encontrada, aceita quando ele propõe um jogo onde eles contam um para o outro suas histórias de vida.
"- Me fale sobre o cadáver. - Clara balbuciou.
- Eu falarei. Mas com uma condição. Lhe contarei sobre o meu fardo e a doutora falará sobre o dela."
A partir daí Lázaro passa a ser o foco da história. Conforme ele vai contando sobre sua vida, nós leitores vamos acompanhando sua decadência e vemos como um campeão de jiu-jítsu, com uma carreira e vida pessoal bem sucedida, chega ao fundo do poço.

A história é regada a magia e a eterna luta entre bem e o mal, cheia de anjos e demônios disputando o poder sobre o mundo. Conforme a narrativa vai evoluindo, descobrimos junto ao protagonista um mundo obscuro onde forças sombrias sobem a Terra para espalhar o caos.

Por amor Lázaro persegue esse mundo - embora ele não saiba disso - e só quando é tarde demais para voltar atrás, que ele se dá conta do 'negócio' em que se envolveu e do perigo desconhecido que ronda a humanidade. É assim que descobrimos que ele não é só mais um maníaco que sente prazer ao matar, mas um homem com um importante papel na luta entre o bem e o mal. 

Entretanto, ele não está dando a mínima para isso. Lázaro está perdido em sua própria tristeza e tudo o que deseja na vida é ter sua amada e falecida noiva de volta – custe o que custar. Ele está cego por esse desejo e não vê que está trilhando um caminho perigoso, que está tomando conta de seu corpo e introduzindo em si uma nova personalidade.
"- Sim... Você deveria se sentir culpado. Seu egoísmo será o responsável por mortes e destruição.
[...]
- Meu egoísmo?
- Sim. Acha que eu não ouvi sua conversa com o feiticeiro? Você o protegeu porque pensa que ele pode trazer sua amada de volta. Você acha que uma história de amor idiota é mais importante do que toda a raça humana?"
"Réquiem" possui muitos outros elementos e personagens, mas é impossível falar de todos sem deixar essa resenha enorme, então vou falar apenas de outros dois personagens, Hans e Flávio, que aparecem no meio da história e tornam-se os companheiros de Lázaro.

Hans fazia parte de uma sociedade secreta – Ordem dos Sarasvati - fundada para combater o mal, mas que com o passar do tempo mudou de lado. Insatisfeito com os planos de seus líderes de se aliar a demônios, Hans torna-se um desertor e então passa a combatê-los - os membros dessa sociedade e aos demônios - sozinho, até conhecer Lázaro.

Hans é um personagem misterioso, habilidoso e não muito amigável – lê-se arrogante. Mas eu achei isso algo bem compreensível, afinal, ele está tentando salvar o mundo e não pode ficar perdendo tempo com gentilezas, principalmente quando outros não querem colaborar e o inimigo está em toda parte.

Flávio era um estudante de música comum, fascinado pelas canções mágicas de seu professor, um velho talentoso e tirano. Cansado de ser maltratado e subestimado, Flávio tenta por si só aprender mais sobre tais canções, sem saber que elas são de fato mágicas e que seu professor tinha conhecido de um mundo além do visto por olhos normais.
"[...] Flávio, que perguntou, ainda anestesiado ao presenciar aquilo tudo:
- Que vai acontecer se esse ritual for concluído?
Hans deu um suspiro e Lázaro fitou o rapaz com um olhar de compaixão. Afinal, ele havia, mesmo, caído de paraquedas naquela confusão sinistra."
A princípio achei o personagem extremante chato e idiota, mas quanto mais a história evoluía, mais Flávio me conquistava. Por vezes pode não parecer, mas ele é um garoto muito corajoso e persistente, o que é importante quando se está lutando contra forças ocultas e você tem um conhecimento que pode ajudar a salvar a vida de um aliado.

Lázaro, Hans e Flávio se unem para combater a Ordem dos Sarasvati, que planeja libertar um demônio que irá destruir o mundo. A narrativa é boa, bem detalhada e muito inteligente. Surpreendente com suas reviravoltas, a história enlaça o leitor e o deixa curioso para querer saber mais. Mais sobre os personagens, mais sobre seus planos em relação a guerra e mais sobre os segredos e intenções de cada um.
"- A Ordem negocia com demônios e nós somos seus inimigos. Esperem se defrontar com seus piores pesadelos... - Hans hesitou por um momento, seu olhar ao mesmo tempo obstinado e respeitoso. - E com o terror do abismo."
“Réquiem” está entrando em seu capítulos finais, segundo o autor Alexandre Rofer. Ele concedeu uma entrevista ao site Cinema e Pipocaclique aqui para ler -, no qual fala sobre o processo de escrita, seus outros projetos, influências em “Réquiem” e a semelhança da mesma com “Hannibal” – que eu não percebi, pois não conheço a história de “Hannibal” profundamente, mas tai uma boa dica para os fãs da série/filme com o maluco canibal.

Onde encontrar “Réquiem”: Wattpad
Onde encontrar o autor: Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO

O blog Paixonites Literárias não incentiva o download ilegal de livros. Por favor, peço para que não utilizem esse espaço de comentários para solicitar ou fornecer livros e/ou sites para download. Comentários dessa espécie serão excluídos.