Resenhas

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

[RESENHA] "EVE E ADAM", DE MICHAEL GRANT E KATHERINE APPLEGATE

Nome: Eve e Adam
Autores: Michael Grant e Katherine Applegate
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Buscapé
Todo mundo devia ter defeitos. Não é isso que nos torna interessantes? Não é isso que nos impede de sermos cópias uns dos outros?

Filha única da poderosa e fria geneticista Terra Spiker, Eve quase perde uma perna em um atropelamento. O processo de cura no luxuoso complexo Spiker transcorre com uma rapidez impressionante, o que desperta a curiosidade da menina.

Antes que Eve estreite os laços com Solo, um rapaz que compartilha segredos com a corporação, a Dra. Spiker propõe um desafi o a sua fi lha: Eve terá a chance de testar, em primeira mão, um software desenvolvido para manipular genes humanos. Ela poderá criar o garoto ideal, sob medida!

Mas brincar de Deus tem consequências, e agora Eve vai descobrir até que ponto existe perfeição.


Eve e Adam superou minhas expectativas e a história foi além do que eu imaginava que seria quando li a sinopse e vi a capa, que aliás, é muito bonita. O livro traz uma mensagem sobre os limites da ciência e o perigo de brincar de ser Deus. Até que ponto podemos chegar em nossa busca pela perfeição? Quão longe vale a pena chegar para salvar uma vida?

Eve Spiker é a filha adolescente da poderosíssima executiva Terra, dona da Spiker Biopharm, uma empresa responsável por um avançado laboratório de genética. Sem irmãos e com o pai - a quem era mais apegada - morto, Eve tem somente a sua melhor amiga Aislin para se apoiar, já que sente como se a mãe fosse uma pessoa inalcançável até para ela.

A história já começa impactante narrando um acidente que deixa Eve "de molho" por alguns dias na Spiker. Para distrair a filha do tédio, Terra oferece a Eve a chance de ser a primeira pessoa a testar um software que permite a quem manuseia criar a pessoa perfeita. Sem nada para fazer ela aceita, mas enquanto ‘brinca’ criando a simulação de ser humano, Eve, que nunca foi de visitar a empresa mãe, acaba percebendo que a Spiker Biopharm esconde muitos segredos e que eles podem ser bem sinistros e perigosos.

Eve puxou a inteligência da mãe, ela também é uma amiga fiel e senti que é uma pessoa muito solitária devido a falta de atenção materna, sendo assim ela não consegue ficar muito tempo longe de Aislin e por isso Terra é obrigada a aceitar a presença da garota na Spiker Biopharm, embora ela desaprove a amizade das duas.
“Eu ouvi que ela era teimosa, difícil, ingênua, muito esperta, muito talentosa, com todo o potencial do mundo.
Esta frase está em minha mente: todo o potencial do mundo.
A garota tem todo o potencial do mundo. Ela poderia ser qualquer coisa. Pode fazer o que quiser. Qualquer coisa!
[...]
Depois de falar com Evening, concluo que ela é inteligente. Não sei se ela tem todo o potencial do mundo.”
Eu até consigo entender o motivo de Terra não gostar de Aislin. A garota extrovertida e muito chegada em garotos é uma boa amiga, no entanto, vive metida em confusões por causa de seu namorado que tem envolvimento com traficantes de drogas. As coisas realmente chegam a ficar bastante feias devido a esses problemas.
“- Eu sei, está bem? – seus olhos ficam marejados. – Eu sei quem ele é. E finalmente sei que tenho que me livrar dele. Mas não enquanto ele estiver morrendo, OK?
- Sim – digo, mas não acredito que ela vá se afastar de Maddox, machucado ou não. Ela vai voltar para ele, como sempre volta. De repente, o problema disso tudo me faz entender. Aislin vai afundar com Maddox, e com qualquer outro idiota que o substitua.”
Na história também há Solo, que mora na Spiker Biopharm onde é responsável por pequenos serviços como servir café e certificar-se de que as visitas estarão confortáveis. Solo está sob a responsabilidade de Terra desde que seus pais morreram e deixaram-na para ser sua tutora, porém ele nutre pela executiva um ódio grande o suficiente para ele ter a determinação de destruir a ela e a empresa. O plano do rapaz é revelar ao mundo os segredos sujos da Spiker, mas no meio do caminho ele acaba conhecendo Eve e Aislin, e decide então contar as garotas sobre o que sabe e assim conseguir a ajuda delas.

A Spiker Biopharm tem um projeto que salva milhares de vidas ao fabricar vacinas para doenças que outras empresas decidiram ignorar por acharem pouco lucrativas, mas não se pode negar que as coisas não reveladas ao público são muito erradas. Envolvida no meio dessa confusão por causa de Solo - e de sua imensa curiosidade -, Eve vê-se dividida entre acabar de uma vez por todas com esses crimes e consequentemente delatar a mãe, ou então deter Solo afinal, os laboratórios Spiker também ajuda a salvar milhares de pessoas necessitadas.
“Vejo minha mãe na cadeia. Com um macacão laranja.
Ela odeia a cor laranja.
Eu a enfrento no tribunal. Ela terá ótimos advogados, claro. Mas a prova virá de sua própria filha. No mínimo ela vai ter que assinar um acordo. Vai perder seus negócios.
Os horrores chegarão ao fim.
Mas também chegará ao fim o trabalho no Piso Um. Projetos que podem trazer alívio a milhões ou salvar dezenas de milhares de vidas. Uma criança na África vive ou morre devido ao que eu decido.”
O livro é narrado em primeira pessoa, intercalando entre o ponto de vista de Eve e de Solo até que, lá pelas tantas um terceiro personagem surpreende ao dar continuidade à história sob a sua própria perspectiva. Os capítulos são curtos, com muita coisa acontecendo em um pequeno intervalo de tempo. A leitura é prazerosa e rápida, com uma pitada de humor (proveniente das tiradinhas espertas de Eve e Solo) que é claro, sempre torna tudo mais divertido; mergulhei na história e quando dei por mim já estava lendo a última linha.

O ponto negativo é a falta de desenvolvimento dos personagens. Conhecemos Solo e o seu passado, que é fundamental para o desenrolar do desfecho, mas se tratando dos demais personagens, só sabemos o que é mostrado ao longo da narrativa, os acontecimentos do “presente”.

Terra foi a personagem mais intrigante para mim. Ela é descrita como uma mulher difícil, autoritária e que sabe se impor sobre os outros. Para mim ficou bem claro que ela ama loucamente sua filha e que também tinha sentimentos pelo falecido marido, porém o livro todo vemos ela ser fria e distante, negligenciado Eve que não deixou de mencionar o quanto a mãe desprezava os trabalhos do pai, que era um artista.  Eu realmente gostaria de saber o motivo por trás desse comportamento, mas infelizmente nem ela, nem os outros personagens ganharam uma exploração tão profunda.
“Não é um escritório onde você esperaria ver um monte de fotos bobas de família, mas ali estão elas [...] A maioria são fotos minhas, algumas de meus pais. Uma delas é de nós três, uma pose clássica da família feliz na praia.
- Oi, Evening – minha mãe diz de modo frio. [...] Fica de pé, ajeitando seu terninho, que já está perfeitamente arrumado, e sai de trás da Mesa da Morte.
Como sempre acontece em relação a minha mãe, sinto vontade de dar um passo para trás. Mas resisto.”
“Eve e Adam” tem uma premissa boa e poderia ter sido um livro ótimo, se não fosse por alguns deslizes. A narrativa toda nos leva a pensar uma coisa, então chegamos a um desfecho surpreendente, não só para os leitores como para os personagens. A ideia de criar um ser humano parece atraente a princípio, mas para conseguir algo assim é necessário muito estudo, trabalho, investimentos e sacrifícios - que uma mente doente certamente não se importaria de fazer 'pela ciência'. Isso sem contar que conseguir resultados positivos faria o projeto valer milhões, já que com certeza haveria gente disposta a pagar por isso e claro, a sensação de poder e riqueza sobe a cabeça e pode fazer as pessoas cometer (ainda mais) crimes horríveis.
“Não me dê a tarefa de criar um ser humano a menos que queira que eu me sinta Deus.
- É só uma simulação – ele diz, estreitando os olhos de modo suspeito.
- Certo, e eu sou só uma simulação de Deus”
A capa do livro me conquistou desde o primeiro momento. A diagramação está maravilhosa, a escrita têm uma boa fonte e tamanho com uma revisão excelente. Um ótimo trabalho da Novo Conceito.




Clique aqui e baixe um trecho do livro, disponibilizado no site da NC.

2 comentários:

  1. To doida pra ler esse livro, acho essa capa maravilhosa.

    http://oceanodelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei tanto o livro que já quero ler de novo. Infelizmente minha lista já está muito grande para eu me dar ao luxo de reler livros que li há um mês. E a capa é realmente linda. Amo, amo <3

      Excluir