Resenhas

domingo, 30 de novembro de 2014

[RESENHA] "DESPERTA AO AMANHECER", DE C.C. HUNTER

Nome: Desperta ao Amanhecer
Autora: C.C. Hunter
Série: Os Sobrenaturais #02
Editora: Jangada
Onde comprar: Buscapé
Kylie anseia por descobrir sua própria identidade sobrenatural e o que seus poderes significam. Agora ela vai precisar deles mais do que nunca, porque está sendo assombrada por outro espírito, que insiste em dizer que alguém que ela ama morrerá antes do final do verão. Se ao menos Kylie soubesse quem ela precisa salvar e como...

Mas a maior causa de seus problemas são os dilemas do coração. Kylie sabe que precisa decidir entre Lucas, o lobisomem que conheceu quando ainda era garotinha, e Derek, um fae muito atraente, para não correr os risco de perder os dois. Mas o romance vai ter que esperar, porque alguém do lado sombrio do mundo natural se esconde em Shadow Falls.

Resenhas | Série “Os Sobrenaturais”


 


Atenção. Esta resenha contém spoiler seu você não leu “Nascida à Meia-Noite”

Em “Desperta ao Amanhecer” voltamos a acompanhar Kylie em sua busca para descobrir sua verdadeira identidade. O livro começa do mesmo ponto onde “Nascida à Meia-Noite” acabou e fico feliz por poder dizer que a história continua igualmente envolvente e gostosa.

Kylie ainda está em Shadow Falls e não mais em fase de negação sobre não ser uma simples garota humana. A revelação de Daniel no final do primeiro livro respondeu a algumas perguntas quanto à origem de seus poderes, além disso, estes finalmente estão começando a se manifestar, mas ainda não é o suficiente para dizer que tipo de sobrenatural ela é. Seria até engraçado se não fosse tão desanimador. Sempre que ela fazia algo não natural e que levava o leitor (e a própria Kylie) a pensar que ela pertencia a determinada espécie, outra coisa acontecia e então todos voltávamos a pergunta “mas o que será que ela é?”.
“— Quando uma porta se fecha, outra se abre.
Kylie levantou novamente a cabeça.
— E se não houver outra porta?
— Então você tenta a janela.
— E se não houver uma janela? — Kylie perguntou.
— Então você pega uma marreta e abre uma janela. Ninguém disse que a vida é fácil. De modo geral, quanto mais difícil é uma coisa, mais gratificantes são os resultados.”
Para piorar Kylie tem um novo fantasma em sua vida. Uma mulher que insiste em dizer que alguém que Kylie ama morrerá se ela não fizer alguma coisa, porém - para a infelicidade da protagonista - o espírito não revela quem está em perigo ou como Kylie pode ajudar.
“Você pode salvá-la. Você não sabe que pode, mas tem essa capacidade. — disse o fantasma.
— Como eu vou salvá-la? — Kylie perguntou, esperando que isso pudesse ajudá-la a descobrir a identidade da pessoa. Ela precisava de alguma informação, droga, algo que a ajudasse a decifrar a mensagem do fantasma.”
Mas nem todas as confusões na vida da protagonista está relacionada ao sobrenatural. A descoberta do segredo de sua mãe foi como uma ponte de ligação entre as duas, porém Kylie não deixa de sofrer quanto ao divórcio de seus pais, ainda mais quando o pai dela está tentando retornar à juventude enquanto namora uma garota que tem praticamente a idade da filha.

Entretanto nem tudo vai mal. Quando chegou a Shadow Falls, toda arisca e tendo pensamentos ruins em relação aos seus colegas de acampamento, Kylie certamente não imaginava que encontraria uma nova família ali. É, essa vida sabe dar voltas e pregar peças.

Holiday passou de líder e conselheira do acampamento, a alguém que Kylie pode confiar muito mais do que suas frustrações relacionadas aos seus poderes sobrenaturais. Ela é quase como uma irmã mais velha.

E é claro que não podemos falar dos amigos de Kylie sem citar Miranda e Della. Essas eu acredito que já estão chegando ao patamar 'irmãs por opção'. A bruxa e a vampira continuam nos rendendo boas risadas com suas brigas e ameaças de se matarem, como duas irmãs que se amam mas não conseguem parar de brigar. Entretanto elas sabem ser sérias quando é preciso e não pensam duas vezes quando é na hora ajudar uma amiga, nem que tenham que passar por cima de seus próprios medos para isso.
“Posso subir nas suas costas outra vez? — perguntou Miranda, esfregando as mãos.
— Não! E se você contar a alguém que te dei uma carona, quebro suas pernas. Não vou sair por ai levando todo mundo para dar uma voltinha.
— A menos que seja um gato, certo? — perguntou Miranda, com uma risadinha.
— Pare com isso! — retrucou Della, enquanto Miranda ria mais ainda.
Kylie olhou para as amigas e percebeu que, pela primeira vez em vários dias, ela ouvia Miranda rindo.
— Adoro vocês, meninas.
— É, nós sabemos — respondeu Miranda, e as três começaram a andar.”
Aliás, uma das coisas que eu mais gosto nessa saga é a presença dos personagens secundários. Há vários que aparecem entre uma cena e outra, e ainda sim marcam presença o suficiente para nos lembrarmos de seus nomes. O vampiro Chris, embora ele seja apenas o cara que sorteia os nomes para a hora do encontro; Perry, o metamorfo que é apaixonado por Miranda (aliás, ele é um dos meus personagens favoritos, eu gostaria até que a autora fizesse um spin-off contando a história dele); o casal Hellen e Jonathan. E esses nem são todos viu?! Também devo acrescentar que isso não torna a narrativa cansativa ou confusa. Na verdade, o momento em que a turma toda está reunida é quando coisas divertidas acontecem, porque apesar de sobrenaturais ele não deixam de ser um bando de adolescentes. C.C. Hunter faz um ótimo trabalho deixando "a luz sobre Kylie", ao mesmo tempo em que consegue expandi-la e fazê-la brilhar um pouco sobre os outros.

O triângulo amoroso continua, mas dessa vez a situação conseguiu me deixar irritada. É muita enrolação e uma Kylie completamente indecisa, mudando seus pensamentos sobre seus dois pretendentes a cada capítulo.

Lucas foi embora do acampamento - com Fredericka em seu encalço, para variar - alegando que era o melhor para Kylie se eles não ficassem juntos, mas então fica mandando cartas dizendo coisas lindas e o quanto quer resolver seja lá o que ele está fazendo para voltar logo para ela.

Derek por outro lado está sempre presente sendo um grande amigo, fazendo o possível para ajudar Kylie com seus problemas e deixando bem claro quais são suas intenções com ela.

Da até para dizer que em algum momento Kylie se apaixona por Derek, mas ela não consegue parar de pensar em Lucas - ainda mais quando o próprio tenta entrar em contato com ela de tudo quanto é jeito - e consequentemente acaba iludindo o meio-fae. Foi isso o que me irritou. O fato de ela estar com Derek e dando a entender que está correspondendo as investidas dele, ao mesmo tempo em que continua recebendo as cartas de Lucas e pensando nos amassos que deu no lobisomem.
“— Eu não sei o que você está pensando, Lucas. Está me dizendo que não há nada entre você e Fredericka, mas ela obviamente pensa diferente. Talvez você deva resolver as coisas com ela antes de começar qualquer coisa comigo. - O coração dela se apertou quando percebeu que era basicamente a mesma coisa que Derek havia dito a ela.”
Há muitas coisas nessa série que eu aprecio e uma delas é o fato de que a autora não deixa pontas soltas. É claro que temos o grande mistério sobre qual espécie sobrenatural Kylie é, mas aí é que está, esse é o GRANDE MISTÉRIO e que por isso provavelmente só será desvendado ao poucos em cada volume da série.

Mas a cada livro um novo enigma e problema surge, como o novo fantasma de Kylie ou um novo inimigo tentando adentrar Shadow Falls. Esses problemas se desenrolam durante a narrativa e até o final do livro tudo já está resolvido, inclusive abrindo espaço e dando ao leitor um vislumbre dos conflitos que deixarão os personagens em estado de alerta na sequência.
A autora consegue se reinventar de uma jeito incrível. Você não sente que a história está caindo na mesmice, repetindo os mesmos assuntos com uma divergência ou outra.
“E nesse mesmo instante, Kylie ouviu o som de uma cascata. Algo chamou sua atenção em sua visão periférica e ela olhou para a parede de madeira, onde uma mescla de luz e sombras rodopiava num padrão quase hipnótico. Anjos da morte dançando.
[...]
E, então, ouviu:
— Vá e descubra o seu passado, para que possa descobrir o seu futuro.”

2 comentários:

  1. Esse é um dos meus livros favoritos da série! A C.C. realmente soube desenvolver bem história, tanto que a gente pensa ter passado uma eternidade na historia, mas mal se passou seis meses, outra coisa notável é o grande desenvolvimento que os personagens sofrem, a autora não fica enrolado na história ela deixo os personagens mais interessantes a cada livro. Eu seeeempre fui Team Derek sempre achei ele mais tudo. To esperando pela resenha do terceiro livro por que adorei essa ♥

    Xo
    Re.View

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Alisson o// É difícil escolher um livro favorito, adoro essa saga inteira <3 Os personagens da C.C. são realmente bem construídos né, umas das coisas que eu mais gosto é como todos conseguem ter um espaço no livro.
      Embora eu tenho odiado o triângulo amoroso nesse livro e tenha reprovado algumas atitudes do lobisomem, eu continuo sendo Team Lucas < 3 XD
      E não se preocupe, pretendo reler o terceiro livro para resenha logo. Fico muito feliz que você tenha gostado desta aqui. Xx

      Excluir